Menu Papel POP

Charlize Theron dá detalhes sobre a noite em que sua mãe matou seu pai em autodefesa

MAIS SOBRE:

Já era de conhecimento do público que a mãe de Charlize Theron, Gerda, havia matado seu pai em legítima defesa. Agora, nesta semana em entrevista ao National Public Radio, NPR, a atriz contou detalhes sobre a noite em que sua mãe o matou.

A atriz, que está promovendo o longa “O Escândalo”, viveu esta cena quando tinha apenas 15 anos, em julho de 1991. Sem vergonha de contar a história, ela diz que seu pai havia chegado bêbado e violento em casa no dia do acontecimento:

“Meu pai estava tão bêbado que não era nem para ele conseguir andar quando ele entrou na casa com uma arma. Eu e minha mãe estávamos no quarto atrás da porta enquanto ele tentava forçar a entrada. Ele atirou contra a porta três vezes e, por um milagre, nenhuma bala nos acertou. Mas, em legítima defesa, ela acabou com a ameaça.”

Então Gerda, para salvar a filha e a si própria, atirou no marido. Charlize completa dizendo que pai era um “homem muito doente” e “alcoólatra a vida toda”. “Era uma situação desesperadora. Nossa família estava presa naquilo”, revela.

“Eu acho que nossa família era incrivelmente doente. E tudo o que aconteceu nos marcou de certa forma. Claro, eu desejo que o que aconteceu naquela noite nunca tivesse acontecido. É, infelizmente, o que acontece quando você não trata esses problemas pela raiz”, analisa.

Para ela é importante tocar neste assunto e mostrar pras pessoas, na mesma situação, que não estão sozinhas.

“Essa violência doméstica, esse tipo de violência que acontece dentro de uma família, é algo que eu compartilho com muitas pessoas. Eu não tenho vergonha de falar sobre o assunto, porque eu acho que quanto mais nós falamos dessas coisas, mais nós percebemos que nós não estamos sozinhos nisso. Eu acho que, para mim, essa história realmente é sobre crescer com viciados e o que isso faz com alguém”.

 

Onde procurar ajuda e denunciar casos de violência doméstica?

  • Disque-Denúncia 180. A denúncia é anônima e gratuita, disponível 24 horas, em todo o país. Os casos recebidos pela central são encaminhados ao Ministério Público.
  • Polícia Militar 190. Neste caso, vai uma viatura da Polícia até o local
  • Disque 100. Também gratuito, atende graves situações de violações que acabaram de ocorrer ou que ainda estão acontecendo, e acionam os órgãos competentes, possibilitando o flagrante.
  • Defensoria Pública
  • Delegacia da Mulher

Comentários

Topo