Menu Papel POP

Pete Davidson fala como lidou com a morte do pai e se transforma em boneco para a Paper

A revista Paper Magazine divulgou nesta quinta-feira (21), uma entrevista com o comediante Pete Davidson. Além de um bate-papo super descontraído, o artista posou para um ensaio dando vida a um boneco, com articulações nos braços, peladinho e bem ao estilo Ken (namorado da Barbie).

O jornalista quis entender melhor como Pete lida com comédia. Quando ele começou a fazer shows de stand-up, as coisas eram muito diferentes – hoje as pessoas criticam muitos mais e apontam erros e preconceitos das piadas.

Repórter: O mundo parece um lugar mais hiper-sensível, onde você não pode dizer nada sem que alguém se ofenda. Como é isso?
Pete: Isso torna muito difícil fazer shows. Eu me recuso a fazer um show depois deste ano, porque é como se você estivesse arranjando problemas … A comédia está sendo destruída. O stand-up está prestes a ser, tipo, tênis. Como, “Ei, todo mundo gosta de tênis?” Você não pode falar sobre nada. Você não pode. No segundo em que você abre a boca e tem uma opinião, você perde dinheiro hoje. E não acho que seja um lugar seguro para morar.

Repórter: Você se arrepende de algo no palco?
Pete: Sim, olha, quando estou fazendo stand-up e outras coisas, nada do que eu digo vem de um lugar odioso. E você não pode saber o que é engraçado até tentar, sabe? Mas qualquer coisa que eu já tenha dito no palco ou feito uma piada, não me arrependo.

Ele também comentou sobre essa onda de procedimentos estéticos e “harmonização facial” que está por todo mundo. “Isso é insano. Isso é muito triste”.

Para quem não sabe, o pai de Pete faleceu quando ele era bem novo – ele fala constantemente sobre isso e sua infância ao lado da mãe durante seus shows de stand up. Por conta disso, o jornalista quis saber se ele acha que acabou “crescendo mais rápido”.

“Definitivamente. Eu digo isso o tempo todo, mas você não deve aprender o que é a morte até estar no ensino médio (…). Você não deveria aprender quando você tem sete anos … Isso é muito jovem. Então, eu não acho necessariamente que eu era como “homem da casa”, mas definitivamente, mentalmente, aprendi muito mais rápido que os outros… É outra razão pela qual sou tão carinhoso, eu acho, porque as pessoas gostam ser mimado ou… cuidado. É bom saber que você está seguro, sabia?”

Para ele, a comédia teve um papel muito importante no momento de lidar com a morte de seu pai:

“Eu não era muito quisto na escola quando era estranho porque estava lidando com coisas pessoais. Então, eu estava atuando na escola e me zoavam muito. Foi por isso que comecei a fazer stand up, porque as pessoas tinham que me ouvir. Eu sempre gostei de comédia, mas também queria fazê-lo, porque sentia que poderia tirar muito do meu peito. É a melhor forma de terapia possível”

Depois de Pete zoar as pessoas que o consideram bonito, o repórter comentou que existem pessoas que se masturbam com canções. Ele aproveitou e contou que tinha uma queda por Leonardo DiCaprio. Na verdade, uma queda pela atuação de DiCaprio.

“Sim! Bem, eu costumava me masturbar com Leonardo DiCaprio… Uhh, com sua atuação. Sim. Eu costumava ter uma queda enorme por Leonardo DiCaprio. Eu tinha esse enorme pôster dele na praia no meu quarto, e costumava haver, tipo, “Leo love books” .. Você se lembra? Tipo, bem quando ‘Titanic’ saiu quando eu estava na terceira ou quarta série, ele era “carne fresca”. Havia livros de amor e eu tinha todos eles. Ele foi o mais legal”

E aí, gostou de Petezinho na vibe bonequinho?

Comentários

Topo