Menu Papel POP

Jennifer Aniston fala sobre quando Harvey Weinstein tentou intimidá-la e o movimento Me Too

Para promover a série “Morning Show”, da Apple TV+, Jennifer Aniston concedeu uma entrevista à revista Variety nesta terça-feira (8), onde contou, entre algumas coisas, sobre a experiência de ter trabalhado com Harvey Weinstein no filme “Fora de Rumo”, de 2005. O repórter quis saber se como foi o momento em que teve de conviver com ele.

Repórter: Você passou algum tempo com Harvey?
Aniston: Eu precisei. Houve o jantar de estréia. Lembro que estava sentado à mesa do jantar com Clive, e nossos produtores e um amigo meu estavam sentados comigo. E ele literalmente chegou à mesa e disse ao meu amigo: “Levante-se!” E eu fiquei tipo, “Oh meu Deus.” E então meu amigo se levantou e se mudou e Harvey se sentou. Era exatamente esse nível de direitos e comportamentos grosseiros.

Na publicação, ela contou um pouco como ele tentou intimidá-la, tentando lhe obrigar a usar vestidos da marca de sua esposa à época. Aniston não aceitou, mas ele ficava insistindo.

Lembro-me exatamente quando a linha de roupas de [sua ex-esposa] Georgina, Marchesa, estava começando. Foi quando ele veio me visitar em Londres enquanto filmávamos. Ele dizia: “Ok, então eu gostaria que você usasse um desses na estréia”. E eu examinei o catálogo e, na época, não era o que é hoje. Não era meu estilo. Ele ficava: “Você tem que usar o vestido”. Esse era o meu único assédio moral. E eu fiquei tipo: “Não, eu não vou usar o vestido”

A partir deste assunto, o repórter quis saber se Aniston acredita que o movimento Me Too está trazendo mudança permanente em Hollywood:

Absolutamente. Acho que ainda há espaço para melhorias, mas acho que está acontecendo. Eu acho que as pessoas tiveram medo delas. É também esse grande pêndulo. Todo mundo tem esse novo manual e todo mundo está tentando descobrir quais são as novas regras. Mas o mais maravilhoso de fazer esse programa [Morning Show] é que ele é incrivelmente honesto em termos de tópicos e situações. Está basicamente mostrando todos os lados. Está mostrando como as coisas são ditas a portas fechadas durante o Me Too, que ninguém mais tem coragem de dizer na frente do mundo.

Sobre o empoderamento feminino em Hollywood, e como isto impactou nas produções, ela disse achar este momento incrível. E também acredita que todas essas mudanças tem o potencial de ficarem cada vez melhores.

“Eu acho que é um momento incrível. Olha, existem vozes desconhecidas, talentos desconhecidos que ainda precisam ser descobertos. Agora estamos de olho nesse prêmio. Você precisa fazer as pessoas pensarem que não é mais uma escolha. Este é realmente o novo normal, como deveria ser. E acho que vai ficar cada vez melhor. Nosso show [Morning Show} tem seis produtoras. Como uma mulher que está nesse negócio há 30 anos, tem sido ótima e difícil. E agora aqui estamos. Temos o primeiro show comprado pela Apple”

Comentários

Topo