Menu Papel POP

Jason Momoa conta de seu treinamento para viver um guerreiro cego na série “See”

MAIS SOBRE:

Como publicamos aqui no último dia 10, Jason Momoa é o protagonista na nova série da Apple TV+, “See”.

“See” se passa 600 anos no futuro, e segue uma comunidade que vive em um mundo onde todas as pessoas perderam a visão devido a um vírus. E, no meio tempo, duas crianças nascem com a capacidade de enxergar, o que vai mudar bastante o rumo das coisas….

Já nesta segunda-feira (16) para a Entertainment Weekly, o ator contou como foi o treinamento para viver um líder cego.

“Nós passamos horas em completo escuro. Quanto menos você depende da sua visão, mais você sente a sua pele. Você entra em uma sala e pode sentir um objeto perto de você. Você sente a sua localização, os sons e pode escapar dos objetos. E quanto mais você treina, você se torna esse guerreiro com um sentido aumentado e não é dependente dos seus olhos. Todas cenas de luta são diferentes porque você não tem visão.”

Jason descreveu este papel como “provavelmente o meu melhor trabalho”.

“Nesta série, no segundo episódio, tenho 60 anos com gêmeos de 15 anos. Mesmo sendo um guerreiro, ele é um homem tentando manter sua família unida. Eu nunca fiz um papel de pai. Eu nunca tive a oportunidade de ir a esses lugares antes.”

O projeto foi escrito por Steven Knight e o diretor da franquia de “Jogos Vorazes”, Francis Lawrence. Eles fizeram um grande esforço para apresentar um mundo pós-apocalíptico credível, em que a humanidade se adaptou gradualmente e de forma inteligente à sua falta de visão. Knight comentou:

“Não é como se estivéssemos dizendo ‘aqui estão pessoas que perderam a visão e isso é horrível. O mundo se curou. Está de volta a ser lindo e intocado. A raça humana se adaptou. Passamos semanas com um grupo de pessoas – sobreviventes, cientistas e antropólogos – e reunimos este mundo. Queríamos analisar quais pedaços de tecnologia sobreviveriam e o que não sobreviveria. “

“See” chega na Apple Tv+ no dia 1º de novembro, no mesmo dia que o serviço será lançado. Nos Estados Unidos, a mensalidade custará US$ 4,99.  Ainda não tem data para chegar ao Brasil.

Comentários

Topo