Menu Papel POP

Em entrevista à Rolling Stone, Taylor Swift conta que Ed Sheeran “é obcecado” pelas paradas

Taylor Swift lançou recentemente o álbum “Lover”, que vem arrasando nas paradas de sucesso e em vendas. Mas, em entrevista à Rolling Stone, a americana contou que não entende muito bem como funciona essa equação para garantir as melhores posições nos charts.

A equação que envolve vendas, equivalência de streams e reproduções nas rádios e alguns outros fatores que deixam Swift confusa. Porém, ela contou que seu amigo, Ed Sheeran, sabe muito bem como tudo isso funciona e é obcecado por esses números.

“Estou um pouco mais tranquila sobre coisas assim. Obviamente, você quer se sair bem e fazer coisas que as pessoas gostem e que não tirem sarro de você por isso. Muita pressão do que sinto em minha carreira é justamente o fato de me compararem a tudo que já fiz no passado e também a novos artistas. Eu realmente não entendo mais como as paradas funcionam. Meu amigo Ed é um especialista em paradas, obcecado pelo funcionamento e pela matemática. Eu não tenho ideia do que se passa com a matemática agora. Costumava ser tão fácil”

Sobre seu desenvolvimento criativo, a cantora falou um pouco sobre como escreveu a faixa-título de seu último
trabalho. Ela falou que uma canção rápida de escrever, muito rápida mesmo.

“Eu estava sentado no piano no meu loft e eu tinha o refrão. Isso meio que aconteceu imediatamente. Foi um daqueles que escrevi muito, muito rapidamente. E eu estava elaborando a cadência do primeiro verso e isso meio que se juntou. Mas então levei algum tempo para escrever a bridge, porque queria realmente subir de nível com essa bridge. Para mim, essa seria menos uma bridge retórica e mais uma bridge do tipo fábula da história. Às vezes, gosto de imaginar uma bridge como uma espécie de fábula de canção de ninar de contos de fadas expandindo uma música que não era tão detalhada até aquele momento. “Posso ir aonde você vai / sempre podemos estar tão perto para todo o sempre” é menos detalhado do que quando você vai à ponte e percebe que, oh, ficou realmente pessoal na ponte. Expande em tudo”

Ela também falou um pouco sobre sua experiência durante a fase “Reputation”. Ela disse que tentou trabalhar o mais duro possível. Ela falou que se sentia em um momento estranho da carreira, então foi importante trabalhar e se concentrar no projeto.

“Com a Reputation, eu queria manter a cabeça baixa, sem dizer nada, mas trabalhar mais do que nunca. Foi realmente motivacional para mim ter apenas a turnê do estádio para me preparar e me provar quase. Minha carreira estava em um lugar estranho, mas ainda tenho esse tipo de inflamação em você para trabalhar mais, praticar mais, pensar em conceitos melhores e maiores para o show ao vivo. Eu estava pensando, se alguma coisa pode me tirar dessa desilusão estranha, eu tenho o jeito que as coisas aconteceram na minha carreira que eu estava sentindo naquela época, eu sabia que seria tocar ao vivo. Se eu pudesse me orgulhar do show ao vivo e sentir essa conexão com os fãs, isso me lembraria o motivo pelo qual eu amo isso”

Com “Reputation” e “Lover”, a cantora começou a ousar um pouco mais em performances. Antes, ela não era do tipo que fazia muitas coreografias. Ela admitiu que ainda tem um pouquinho de dificuldade para memorizar alguns passos, mas tenta guardá-los de acordo com as letras das canções.

Comentários

Topo