Menu Papel POP

Duda Beat fala ao Papelpop sobre novo álbum, planos para o futuro e parceria com Tiago Iorc

MAIS SOBRE:

Quem ouviu as prévias do disco “Sinto Muito”, trabalho que marcou a estreia de Duda Beat, soube desde o início que nascia ali um dos melhores cancioneiros da música brasileira atual. O álbum chegou às plataformas digitais no início de 2018 e desde então vem alavancando a artista a novos patamares – inclusive, ao de diva, afinal seus shows seguem lotados por todo o Brasil, seus visuais começam a ser copiados e a identificação com a sofrência lírica que dispõe nas mãos é imediata.

É difícil não se render e seu som conquistou até mesmo aqueles que jamais suspeitaria. O recluso Tiago Iorc é um exemplo disso e não pensou duas vezes ao convidá-la para participar do retorno da série “Acústico MTV”. Juntos eles interpretam a canção “Tangerina”, que compõe o disco mais recente do muso, “Reconstrução”. Para além do projeto, que vem a público no próximo dia 19 de setembro, Duda está cheia de planos e começa a se envolver na produção de um segundo álbum, o qual diz que deve preservar seu posto de “rainha da sofrência”.

Por telefone, nós conversamos com ela na tarde fria da última quarta-feira (4). Entre outras coisas, a artista nos deu pistas do que esperar, fez elogios a Pabllo Vittar e ainda revelou quais são seus discos favoritos da série Acústico. Leia:

Papelpop: Não posso começar deixando de falar sobre a capa da Glamour deste mês, que traz um ensaio seu. Vi que ficou super emocionada, disse que foi a realização de um sonho…

DUDA BEAT: Ah, menino, foi maravilhoso! Passei a vida inteira consumindo revistas e sempre pensando que poderia estar ali um dia. Virou realidade, aconteceu e eu tô linda. Foi um ensaio muito especial, verdadeiro, com as minhas sardinhas aparecendo. Minha mãe ficou emocionada, meu pai me ligou desejando parabéns…

Você tem conquistado muita coisa. Shows lotados, singles totalmente abraçados pelo público, uma fan base que só cresce… Qual balanço você faz desse 1 ano e meio de “Sinto Muito”?

Eu acho que foi um grande debut, um lindo cartão de visitas. Esse álbum foi muito bem pensado por mim, por Tomás, Lux e minha equipe de produção, sabe? É delicioso ver como ele vem conquistando tantas pessoas. De um ano pra cá, houve um retorno muito positivo, melhor até do que eu esperava. O balanço é de muito trabalho, amor e dedicação do que faço. Trabalho muito, todos os dias, pra que funcione e dê certo. Lançar este disco foi uma escola. 

Por falar em álbum, você já tem pensado no segundo?

Começamos ontem! (Risos) Estamos fazendo as prés. Sentei com os meninos, mostrei tudo o que eu tinha, mas ainda tem muita coisa pra fazer, vai ser bem legal. Chega em meados de 2020, porque esse ano ainda tem muita coisa pra sair, muitos feats… Também quero fazer um acústico do “Sinto Muito”, um projeto que já idealizei. Teremos convidados, vou chamar artistas pra cantar comigo em cada uma das 5 faixas. Pra não me embananar, sai ano que vem, quero fazer devagar porque é um álbum é uma coisa que se eterniza.

E quanto à sonoridade, o que podemos esperar? 

Mmmm… Outro dia eu até comentei que quando se trata de single, sou mais comercial. Com disco, as coisas mudam, gosto de contar histórias, penso muito. Logo, em termos de narrativa vou seguir sendo a rainha da sofrência (risos). Neste novo trabalho, devo empregar a mesma lógica do “Sinto Muito”, em que provavelmente cada faixa vai ter um estilo diferente. Vou botar coisas que gosto de ouvir, mescladas a referências da música nordestina, do reggae, do kuduro… Quero explorar mais coisas, fazer uma misturinha.

Duda, sai agora em setembro o Acústico MTV com Tiago Iorc, vocês gravaram “Tangerina” juntos… Como aconteceu esse encontro?

Cara, eu tava vivendo a minha vida, normalmente… Ele [Tiago] tinha lançado o disco novo, ouvi e amei! Desde que entrei no universo da música, estudo muito e me lembro que fiquei chocada com a mixagem do disco porque era impecável. Sou uma artista que presta muita atenção em canções e nada pode deter um artista que tem isso. Sou fã e achei uma obra prima! Comentei numa foto dele, não nos conhecíamos, mas um mês depois minha empresaria recebeu um telefonema com a produção de Tiago dizendo que ele tinha interesse em me convidar pro disco. Fiquei passada! (risos) Eu disse ‘Oxente, esse menino nem me conhece!’. O poder da musica é transformador, fui de coração aberto, me senti honrada… Nos ensaios ele foi um amor, um gentleman, super respeitoso com os meus vocais, minha banda. Só agradeço por esse convite, um verdadeiro privilégio!

Por falar em Acústico MTV, esse é o retorno da série ao Brasil… eu mesmo cresci acompanhando os especiais de Shakira, Rita Lee… Você também curtia quando tava no auge, tem algum favorito?

Eu era adolescente e vi todos! (Risos) Nunca imaginei que eu ia cantar lá! Eu tenho um favorito, que é muito especial pra mim: Lenine! É lindo, eu amo quando a Julieta Venegas entra pra cantar. Também adoro os especiais de Engenheiros do Hawaii e Rita Lee, como você bem disse. 

Ainda sobre parcerias, você também dividiu o palco com a Pabllo Vittar no último fim de semana em Belo Horizonte… Represento o Brasil nesta pergunta: vamos ter featuring?

(Risos) Por mim, é óbvio que isso vai rolar. Ela tá animada com a ideia, mas ainda não falamos a respeito. Espero que aconteça o mais rápido possível, qualquer dia solto isso! Pabllo, aliás, foi uma das primeiras pessoas que me divulgou, que pediu clipes meus no TVZ. Foi a primeira grande artista a me notar e hoje é uma amizade que se consolida cada dia mais. Ela é um ser político, generosa pra caralho, ama minha banda… a gente tem muito em comum.

Pra fechar, eu adoro a Lizzo e sempre vejo você comentando em posts dela no Instagram. Além do “Cuz I Love You”, que aposto que você tem ouvido muito, quais outros artistas têm passado pela sua playlist?

Nossa… Lizzo eu amo, tô lá comentando em toda foto pra ver se ela me nota, quero ser amiga (risos). Ultimamente tem tocado uma artista nova que vocês vão acabar conhecendo em breve, Tongo! Essa pessoa é muito boa, já até mandei mensagem dizendo q sou fã. Os clássicos também estão sempre aqui, adoro Djavan! Nesse friozinho, Caetano também toca muito, dá uma calma, acompanhado por um vinhozinho então… você já visualizou aí né? Também curto muito Kali Uchis, Tiago Iorc, e claro, a sofrência dos anos 1980.

 

O “Acústico MTV” de Tiago Iorc será exibido no canal no próximo dia 19 de setembro, enquanto nas plataformas o disco chega à meia-noite do dia 20. Até lá, ouça “Sinto Muito”.

Comentários

Topo