Menu Papel POP

Bia Ferreira faz reflexões sobre racismo em seu álbum “Igreja Lesbiteriana, Um Chamado”

MAIS SOBRE:

Conhecem a Bia?

Bia Ferreira é de Minas Gerais radicada em Sergipe, tem 26 anos, e lançou nesta sexta-feira (13) seu álbum “Igreja Lesbiteriana: um Chamado”!

A cantora estourou com músicas como “Cota Não é Esmola”, “Diga Não”, “Não precisa ser Amélia” e “Eu Boto Fé”. Sua voz e suas letras políticas são um baque necessário para todos ouvirem.

Antes mesmo do disco, artista e ativista foi nomeada à prêmios importantes como WME (Women Music Event) e o SIM (Semana Internacional da Música).

Ela canta desde temas como racismo, relacionamentos, feminismo e sua vivência como mulher lésbica. Seu disco conta com 9 músicas. Tá um hinário, viu?

“Canto pela tia que é silenciada, dizem que só a pia é o seu lugar. Pela mina que é de quebrada, que é violentada e não pode estudar. Canto pela preta objetificada, gostosa, sarada, que tem que sambar. Dona de casa, limpa, lava e passa, mas fora do lar não pode trabalhar”, canta em “Não Precisa Ser Amélia”.

Ouça aqui:

No dia 21 de setembro, Bia irá tocar no SESC Pompéia, em São Paulo. Bora!

Comentários

Topo