Menu Papel POP

Roman Polanski se mostrou curioso quanto a “Era Uma Vez em… Hollywood”, diz Tarantino

Quem vem acompanhando a nova produção de Quentin Tarantino, “Era Uma Vez em… Hollywood“, sabe que o filme será ambientado na capital do cinema nos anos 1960. Apesar de o foco da narrativa estar em um ator e um dublê em decadência, que tentam a todo custo passar adiante o bastão do fracasso, há também uma parte muito curiosa que mostra figuras icônicas da época, entre elas o maníaco Charles Manson e a atriz Sharon Tate.

Pra contextualizar: em 1969, em 1969, Tate, que chegou a ser considerada uma das mulheres mais belas da década, foi brutalmente assassinada pela família Manson, seita de jovens seguidores liderada pelo próprio Charles. À época ela estava grávida de seu primeiro filho, fruto de um casamento com o jovem diretor Roman Polanski.

Neste domingo (21) a NME publicou trechos de uma nova entrevista com Tarantino em que o cineasta afirma que recebeu uma ligação de Polanski pouco depois do fim das filmagens do longa. Segundo ele, o ex-marido de Tate não se mostrou agressivo quanto ao resgate da história, mas bastante curioso.

“Depois que ficou pronto, ele ficou sabendo e se aproximou de um amigo em comum. Aquele amigo me ligou e na linha estava Polanski. Ele disse: ‘Então, o que há com isso?’. Não estava bravo, irado ou algo do tipo. Só estava curioso”.

Tarantino também explicou por que não quis informar Polanski sobre o filme antes do início de sua produção:

“Na verdade, é de importância história, além de apenas sua própria tragédia pessoal. Senti que estava em um terreno ‘OK’. Eu não queria ligar pra ele e falar enquanto escrevia, não poderia pedir permissão. Vou ligar e dizer ‘Vou fazer isso, tudo bem?’. Não acho que ele precisava ficar ansioso e eu não precisei ficar também no que dizia respeito a isso”.

Com Brad Pitt, Leonardo DiCaprio e Margot Robbie no elenco, “Era Uma Vez em… Hollywood” chega aos cinemas no próximo dia 15 de agosto. Assista ao trailer:

Comentários

Topo