Menu Papel POP

Ludmilla fala do namoro e os preconceitos que sofre por ser “negra, funkeira, periférica e bissexual”

MAIS SOBRE:

Ludmilla é abertamente bissexual e recentemente assumiu o namoro com a dançarina Brunna Gonçalves. Em entrevista para a revista Ela do O Globo, a cantora comentou os desafios de ser uma mulher bi, negra e periférica e como assumir este relacionamento a prejudicou e a fez perder contratos.

Ela admite que todo preconceito da sociedade não é um peso nada fácil de se carregar: “É muito ruim viver escondendo quem você realmente é, vivi por muito tempo essa angústia. Já sou uma pessoa que carrega uma mochila lotada de preconceitos. Negra, funkeira, periférica e bissexual.”

Sobre seu namoro (e que casalzão, hein?) ela revelou:

“Apareceram várias pessoas querendo fazer comerciais, dar patrocínios, mas também perdi contratos. Mas estamos realizadas em viver o que sempre sonhamos, sem precisar nos esconder”

A funkeira também comentou sobre sua amizade com Anitta. Ainda insistem em fazer rivalidade feminina entre as duas artistas, e que na verdade não têm nada de errado entre elas. Lud ressaltou que acha uma honra ser comparada com mulheres que admira:

“Antes, as pessoas conseguiam entrar na nossa mente para causar rixas e picuinhas. Hoje, estamos muito mais preparadas para isso. É uma honra ser comparada a essas mulheres. Já viu quem elas são? O caminho que elas trilham?”

O último lançamento de Ludmilla foi o DVD “Hello Mundo”. Ouça aqui o álbum ao vivo:

Comentários

Topo