Menu Papel POP

Listamos dez musas latinas da atualidade para ouvir e se encantar

Desde que o mundo é mundo a música latina traz um calor especial aos nossos corações – além, é claro, de ser um terreno fértil para que vozes femininas se ergam e possam fazer com que seus desejos, origens e sentimentos sejam ouvidos.

Da icônica voz de Mercedes Sosa aos hits radiofônicos de Shakira, várias mulheres fizeram história levando o nome do continente para além-mar. Mas afinal de contas, você sabe o que anda tocando agora nas rádios da América? Mais ainda: você sabe o que tem tocado o coração do público de língua espanhola?

Para facilitar a sua missão, nós resolvemos listar dez nomes que representam a ampla diversidade cultural do nosso continente. Tem mina arrasando no pop, no folk, no eletrônico, no reggaeton… vem com a gente:

Natti Natasha

Seria impossível não começar esta lista falando da dominicana Natti Natasha, uma das maiores vencedoras de prêmios nos últimos dez anos. A carreira da cantora teve uma ascensão meteórica e mudou completamente quando em 2010, durante uma tarde no estúdio, ela conheceu o cantor Don Omar. Lado a lado, os dois deram vida à faixa “Carta Al Cielo”, sua porta para o estrelato.

Desde então a gente viu uma série de composições da moça atingirem o topo das paradas de sucesso de países como México, Argentina, e até mesmo a Espanha. No repertório dela tem de tudo (inclusive participações inusitadas), sempre muito, muito dançantes. A nossa dica é que você comece ouvindo “Runaway”, seu single mais recente em que divide os vocais com Sebastián Yatra, Daddy Yankee e os Jonas Brothers! Olha que estética incrível escolhida para esse clipe:

Vale também uma menção honrosa: no ano passado, Natti Natasha também foi convidada pra participar do álbum de ninguém mais, ninguém menos que a deusa Thalia no single “No Me Acuerdo”. Juntas, elas caem na noite e apelam pra memória seletiva. Sabe como é, a regra da noite é se lembrar apenas daquilo que for conveniente. “Si no me acuerdo, no pasó”…

Becky G

Quem também precisa de destaque nesta lista é Becky G. Mesmo a cantora tendo nascido em Inglewood, cidade situada no Estado da Califórnia, seu sangue latino sempre falou mais alto. Tanto que ela começou a carreira fazendo pequenos covers em inglês na internet, atividade que manteve até ser descoberta por um olheiro. De lá pra cá Becky emplacou single atrás de single nas listas de mais tocadas do rádio e, resgatando as origens de sua família, majoritariamente mexicana, adotou o espanhol como seu idioma oficial desde 2016.

Ela também adora a galera do Brasil e até já colaborou com gente grande como a Anitta. No último álbum da brasileira, o trilíngue “KISSES”, elas cantam a faixa “Banana”.

Karol G

Vamos falar de Colômbia? As duas próximas artistas que escolhemos vem de lá. Karol G, primeiro nome desta lista, é uma das principais porta-vozes do trap e do reggaeton, gêneros que são super badalados nas rádios e que tomam conta das ruas de Medellín, sua cidade natal. No currículo, a artista tem uma vitória no Grammy Latino de 2018 na categoria Artista Revelação e muitas faixas que simplesmente não saem da cabeça do público. Quem aí ainda não conhece “Punto G”? O som dela é uma delícia, perfeito pras pistas e quer saber uma curiosidade? Em seu último álbum, “OCEAN”, rolou até um featuring com a dupla Simone & Simária.

A gente tá esperando o clipe!

Greeicy

Ainda sobre a Colômbia, precisamos falar sobre Greeicy.  Vencedora da edição de 2018 do reality “Mira Quién Baila” (versão mexicana do “Dancing With The Stars”), a cantora nasceu na cidade de Cali e desde sempre se mostrou interessada em seguir carreira na música. Reunindo ótimas parcerias em pouco mais de um ano de carreira (entre elas Nacho, Anitta e David Bisbal), a cantora é super cuidadosa com a estética de seus trabalhos.

Sempre envolta por cores fortes e uma ginga única, Greeicy é a autora de um dos sons mais pegajosos da América. Quer uma prova disso? Toma aqui o single “Ganas”, uma das músicas de trabalho de seu álbum de esteia, “Baila”:

Sofía Reyes

A mexicana Sofía Reyes tinha apenas 8 anos de idade quando seu pai descobriu seu talento para a música. Àquela altura a menina aprendeu a tocar piano e a cantar, enveredando logo em seguida pelo universo da composição. O que se viu nos anos seguintes foi uma rápida escalada nas paradas de sucesso que começaram com o single “Conmigo – Rest Of Your Life”, que tão logo foi lançado e passou a figurar no Top 15 de downloads do iTunes.

Entre o inglês e o espanhol, a artista tem um álbum de estúdio lançado e vem colecionando hits, entre eles a envolvente “R.I.P.”, sua colaboração com Anitta e Rita Ora. Nem precisamos dizer que esta é nossa dica, né?

Lali

Se pararmos só um pouquinho pra pensar, em termos de música a Argentina nos deu muito mais do que seu rock clássico. Lali Esposito é um bom exemplo disso. Embora tenha uma extensa carreira na TV e no teatro (ela até chegou a atuar em uma das versões de “Chiquititas” quando criança), foi na música que a artista se encontrou. Com três álbuns de estúdio lançados, ela é uma referência atual quando o assunto é fazer música pop.

Super antenada, a cantora tem surfado nas tendências do reggaeton e da música eletrônica, botando fãs pra dançar muito além das fronteiras geográficas da Argentina, seu país de origem. No Brasil ela ganhou mais espaço recentemente com a chegada do single “Caliente”, sua parceria com a fada Pabllo Vittar. Gravada no Rio de Janeiro, a produção traz essa dupla curtindo um dia de sol na praia. É um daqueles hits que fazem jus à letra e sempre nos deixam querendo mais.

Javiera Mena

Agora entramos em uma parte mais dance da nossa lista. Escutar o som da chilena Javiera Mena é praticamente se imaginar em uma discoteca da Berlim (ou da Santiago, se preferir) dos anos 1980. Com letras criativas e um visual cheio de referências retrô, a artista fez estreia nos palcos brasileiros em 2018, quando se apresentou como parte do line-up do Festival Bananada, realizado em Goiânia.

Feche os olhos e sinta a vibe de “Dentro de Ti”, um dos singles dela que a gente mais gosta.

Ximena Sariñana

Indicações ao Grammy; apresentações nos festivais Coachella, Lollapalooza; trilha sonora da saga “Crepúsculo”, duas temporadas da versão mexicana do reality America’s Got Talent… bem, Ximena Sariñana tem muito do que se orgulhar em pouco mais de uma década de carreira. Nascida na cidade Guadalajara, a cantora é uma daquelas artistas que sempre está mudando seu som e atraindo novos olhares.

As faixas que compõem o disco “Dónde Bailarán Las Niñas”, seu trabalho  mais recente, são um exemplo disso porque mergulham fundo em experimentos com a música eletrônica. Há flertes com o reggaeton, com a dance music, com o próprio folk…

Mon Laferte

Foi no Chile em que nasceu Norma Monserrat Bustamante Laferte, mais conhecida por seu nome artístico, Mon Laferte. Ela é poderosa não só em termos de voz, mas também em números, já que é a artista chilena mais escutada no Spotify e a recordista em indicações ao Latin Grammy. Neste ano, Laferte foi convidada até mesmo pra tocar no festival Coachella, oportunidade única para muitos artistas.

Além de mandar ver nos instrumentos, a moça embala seus ouvintes com canções intensas de amor que só ela seria capaz de compor. Seu último disco, por exemplo, “Norma”, é super conceitual e apresenta todas as etapas de um relacionamento. A nossa dica, entre tantas faixas bonitas, é o single “Mi Buen Amor”. O nome diz tudo.

Natália Lafourcade

Além de Frida Khalo, nome absoluto das artes mexicanas, temos a honra de viver no mesmo tempo em que Natalia Lafourcade. Com sua voz suave, esta artista é uma das nossas favoritas quando o assunto é romantismo. O disco mais recente lançado por ela com canções inéditas, “Hasta La Raíz”, é recheado de composições fortes e espontâneas.

Pra ouvir e refletir sobre a complexidade e a beleza do amor.

Não bastasse todo esse encanto, Natália também possui uma veia artística toda inspirada pelos sons clássicos da música folclórica. A artista é uma das maiores representantes contemporâneas do gênero e entre os anos de 2017 e 2018 cruzou boa parte da América divulgando o projeto “Musas”. O trabalho consiste em um álbum duplo com regravações de tradicionais eternizadas por vozes como Violeta Parra e Atahualpa Yupanqui.

Tudo pra gente!

E aí, qual delas é sua favorita?

Comentários

Topo