Menu Papel POP

Exclusivo: Baco Exu do Blues mergulha no jazz e cria novas versões para suas faixas

A poesia e as rimas de Baco Exu do Blues são únicas. Sem dúvida a mais recente e impactante revelação do rap brasileiro, o artista tem se mostrado cada vez maior não somente em seu poderio criativo, mas também em suas interpretações. Nesta sexta-feira (14), por exemplo, o cantor liberou nas plataformas um EP com quatro versões de canções suas totalmente repaginadas.

A ideia para o projeto surgiu despretensiosamente a partir de um convite. O rapper foi convocado para ser uma das atrações do programa Hip Hop Machine, programa apresentado pelo saxofonista Leo Gandelman (que também assina a direção artística do projeto, ao lado de Bruno Costa) e que tem se convertido em uma verdadeira febre na internet. O que isso significa? Deve rolar uma segunda temporada!

Pra quem chegou agora, a proposta é bem simples e dialoga com as origens do jazz, baseadas no improviso: ao subir ao palco em cada episódio, o artista cria novas interpretações de canções autorais. Como tudo é captado pelas câmeras em uma perspectiva super intimista, os fãs têm a impressão de estar ali mesmo no estúdio.

Para a ocasião, Baco escolheu “BB King”, “Minotauro de Borges”, “A Pele Que Habito” e “Flamingos” – esta última que o Papelpop mostra com exclusividade abaixo.

Filmado inteiramente em efeito preto e branco, este é um daqueles momentos em que a gente observa como a versatilidade torna o trabalho de um artista ainda mais rico – se é que isso ainda é possível quando falamos de Baco.

Assista:

Não custa reforçar, todas as faixas cantadas pelo artista estão disponíveis nos tocadores digitais. Qual delas foi a sua preferida?

Comentários

Topo