Menu Papel POP

Em carta aberta, Taylor Swift pede para senador apoiar lei que protege a comunidade LGBTQ

MAIS SOBRE:

Hoje (01) começa o Mês do Orgulho LGBT, e, com isso, Taylor Swift resolveu fazer uma boa e importante ação.

A cantora de “Shake It Off” pediu para que o senador Lamar Alexander vote a favor da lei Equality Act, que garante proteção da comunidade LGBT de discriminação no trabalho, escolas e ambientes públicos.

Taylor escreveu na legenda e incentivou que seus fãs façam o mesmo:

“FELIZ MÊS DO ORGULHO LGBT. Enquanto temos muito o que celebrar, ainda temos muito o que percorrer antes que todos neste país realmente sejam tratados com igualdade. Na mais recente excelente notícia, a Câmara dos Representantes dos Estados Unidos aprovou o ‘Equality Act’ que irá proteger as pessoas LGBT de discriminação em seus espaços de trabalho, casas, escolas e outras acomodações públicas. O próximo passo é que o projeto vá para o Senado. Eu decidi começar o Mês do Orgulho LGBT enviando uma carta a um dos meus senadores para explicar o quão importante é que a ‘Equality Act’ seja aprovada. Eu apelo que vocês escrevam para os seus senadores também. Eu vou ver suas cartas usando a hashtag #lettertomysenator”

A legenda continua:

“A falta de proteção do nosso país aos seus cidadãos garante que pessoas LGBTQ vivam no medo e que suas vidas sejam viradas do avesso por qualquer empregador ou senhorio que seja homofóbico ou transfóbico. O fato de que, legalmente, algumas pessoas estão à mercê do ódio e do fanatismo dos outros é repugnante e inaceitável”

Já na carta aberta que está na imagem, Swift também aplaudiu a lei feita há 100 anos que permite que todos os sexos podem votar. Agora, ela quer que a Equality Act seja aprovada para proteger a comunidade LGBT.

“Eu sei que há aqueles que dizem que isso vai de encontro à sua liberdade de religião, mas há centenas de líderes da fé no Tennessee que recentemente (e vocalmente) discordam e verbalizaram defender a comunidade LGBTQ.

 

Eu pessoalmente discordo com a posição do Presidente que sua administração ‘apoia o tratamento igualitário’, mas que a ‘Equality Act’ ‘em seu formato atual é recheada de pílulas de veneno que ameaçam minar direitos dos pais e da consciência’. Não. Não se pode tomar a posição de que se apoia uma comunidade ao mesmo tempo e no próximo suspiro a condena como algo contra a ‘consciência’ ou os ‘direitos dos pais’. Esse pensamento implica que já algo moralmente errado em não ser heterossexual ou cisgênero, o que é uma mensagem dolorosa para enviar à nação cheia de famílias saudáveis formadas por pais, filhos ou filhas do mesmo sexo, não binárias ou transgêneros.”

Maravilhosa <3

Comentários

Topo