Menu Papel POP

Elton John como nunca antes visto: o que há de mais impressionante em “Rocketman”

MAIS SOBRE:

“Rocketman” estreou nos cinemas para contar com muita grandiosidade a história de Elton John. O filme segue com um marco incrível de 90% de aprovação no Rotten Tomatoes e vamos contar aqui (sem spoilers) alguns motivos que tornam a cinebiografia uma necessidade!

Taron Egerton (“Kingsman”) vive o músico desde o começo da carreira até o final dos anos 70. Espere por atuações impecáveis, uma história cheia de altos e baixos e muita música boa. Veja o trailer abaixo e logo depois o que mais achamos de surpreendente no filme!

A forma como o filme é contado é uma ótima surpresa

Nós já sabíamos que Taron Egerton iria cantas todas as músicas do Elton John na voz dele em vez de dublar as originais. Mas isso não é só uma escolha por um detalhe. Faz todo o sentido ser na voz do ator pois ele não é o único a cantar no filme também.

As músicas do Elton John são literalmente vividas e cantadas em momentos que condizem com a sua letra. Com isso, o filme vira um musical feito de forma muito original, onde a realidade se mistura com vários tons de fantasia que fazem sentido por ser a interpretação de Elton John sobre o que viveu.

É um presente para os fãs do Elton John ter o file com um tom tão musical, ao mesmo tempo que é excelente para conhecermos as músicas desse gênio.

Apesar disso, não espere uma história alegre e pra cima

A gente vê nos trailers ele usando figurinos brilhantes, cantando, atingindo a fama, cenas super vibrantes… só que há toda uma trama triste e trágica sobre a vida do Elton John que é constante em todos esses momentos de glamour.

Logo nos primeiros minutos a gente recebe um baque sobre o que está por vir no resto do filme. É de chorar, ficar com o coração apertado e se emocionar. Mas, apesar disso, as músicas do Elton sempre dão um tom muito mais inspirador do que deprê. Mesmos nas cenas mais difíceis.

Elton John não quis esconder nada

Elton John esteve muito presente em toda a produção do filme. Com isso, ele garantiu que todas as verdade de sua vida fossem mostradas. “Eles queriam diminuir o sexo e as drogas, mas não vivi uma vida de classificação livre”, disse ao The Guardian.

Então quem não conhece a história de Elton John ficará surpreso com a vida de excessos, as brigas, os vícios, sexo, drogas e rock n’ roll que ele se meteu nos anos 70. Há uma consequência drástica nisso tudo que o leva à clínica de reabilitação e não há nenhum esforço para deixar isso tudo mais leve. É chocante mesmo.

Até os momentos de diva em que ele perde o controle estão lá. Isso dá ainda muito mais credibilidade ao filme, né?

Novas versões das músicas

Todas as músicas do Elton John têm uma configuração diferente para entrar no filme. Seja com novos arranjos, com a voz de Taron Egerton ou outras vozes do elenco. Para quem já conhece os grandes clássicos do músico, é uma ótima forma de encarar versões mais cinematográficas dos hits.

Quem não o conhece vai com certeza sair correndo para fazer uma maratona de Elton John. As músicas são tão bem colocadas que não vão sair da cabeça!

Atuações impressionantes

Se Rami Malek levou um Oscar por “Bohemian Rhapsody” então vamos reivindicar um Oscar para Taron Egerton! Ele realmente se transformou para viver Elton John e há inúmeros detalhes na atuação para ficar parecido com o músico. Ele sustenta tão bem as cenas mais intensas que nós até seguramos o ar com tanta tensão. Sem falar nos números musicais e toda a coreografia.

Mas além disso, Jamie Bell está mandando muito bem como Bernie Taupin, entregando várias cenas lindas que contam a história da amizade dos dois. Bryce Dallas Howard também está ótima como Sheila, a mãe de Elton, e Richard Madden incorporou bem o papel de vilão como o namorado e empresário John Reid.

Kit Connor é o Elton John na infância e também merece palmas, viu?

“Rocketman” está em cartaz nos cinemas e, como já provamos aqui, tá lindo de ver. Todo mundo precisa conhecer a história de Elton John!

Comentários

Topo