Menu Papel POP

Madonna recebe prêmio por contribuições à comunidade LGBTQ e faz discurso emocionante

MAIS SOBRE:

A relação da Madonna com a comunidade LGBTQ+ não só é de longa data, mas também inestimada. Desde o início da carreira, lá nos anos 1980, ela se posicionou como uma grande defensora dos direitos das minorias.

A Rainha do Pop, que recentemente lançou “Medellín” com Maluma e o single político “I Rise“, foi honrada pela ONG Gay and Lesbian Aliance Against Defamation na noite deste sábado no GLAAD Media Awards (04) com o prêmio “Advocate for Change” (“Voz da Mudança” ou “Advogada Para a Mudança”).

Madonna se tornou a segunda pessoa na história a receber este reconhecimento, estando atrás apenas do ex-presidente estadunidense Bill Clinton, que recebeu o troféu de Voz da Mudança em 2013.

Seu discurso foi emocionante, sincero e profundo. Mas, antes da musa entrar, o jornalista e seu amigo pessoal Anderson Cooper a introduziu da melhor forma possível:

“Estamos aqui esta noite para honrar uma mulher guerreira, rebelde e revolucionária. A poderosa feminista, atriz, aliada de todos nós aqui neste espaço. Ela é Madonna. Ela usa o poder da sua voz e plataforma global para fazer uma  diferença extraordinária na vida de milhões de pessoas LGBTQs ao redor do mundo, falando sobre aceitação, indo contra a discriminação e a falta de igualdade. Madonna se posicionou quando outros não o fizeram. (…) Agora, Madonna escolheu defender pessoas e comunidades que eram e são as mais marginalizadas. Ela escolheu ser uma defensora da mudança (…).

 

Madonna segurou a mão de seus amigos que estavam morrendo. Christopher Flynn, Keith Haring… A lista da perda de amizades é terrivelmente longa. Nenhum cantor aliado foi um melhor amigo ou teve um melhor impacto na aceitação dos LGBTQs do que Madonna. Como um homem gay, Madonna me ajudou e eu sei que ela ajudou muitos daqui. Através de sua música e comportamento ela nos encorajou a perceber que não há nada de errado conosco. Através dela eu vi que havia uma comunidade para mim. Tinha uma vida esperando por mim, por todos nós. E sabe o que? Ela estava certa.”

UAU! Sem. Palavras. Que discurso incrível. Madonna então subiu ao palco para agradecer pelo prêmio e disse mais palavras bonitas:

“Por que sempre lutei por mudança? Essa é uma pergunta difícil de responder. É como tentar explicar a importância da leitura ou a necessidade de amar. Crescendo eu sempre me senti como uma estranha, como se eu não me encaixasse. Não foi porque eu não depilava minhas axilas, eu simplesmente não me encaixava, ok.

 

O primeiro homem gay que conheci se chamava Christopher Flynn. Ele foi meu professor de balé no ensino médio e ele foi a primeira pessoa que acreditou em mim, que me fez sentir especial como dançarina, como artista e como ser humano. Eu sei que isso parece trivial e superficial, mas ele foi o primeiro homem a me dizer que eu era bonita.”

Madonna então contou como Christopher a encorajou a se mudar para Nova York e ir atrás de seus sonhos. Ele também a levou pela primeira vez a uma boate gay, onde ela não se sentiu mais como uma pessoa excluída ou “de fora”:

“Pela primeira vez eu vi homens beijando homens, meninas vestidas como meninos, meninos vestindo calças de cintura alta, loucas e incríveis danças e uma espécie de liberdade e alegria e felicidade que eu nunca tinha visto antes. Eu finalmente senti que não estava sozinha, que era ok ser diferente e não ser como todo mundo. E depois disso tudo, eu não era uma aberração. Eu me senti em casa e isso me deu esperança.”

Em Nova York, Madonna ficou sabendo da epidemia da AIDS:

A praga se moveu como uma nuvem negra sobre Nova York e em um piscar de olhos pegou todos os meus amigos. Depois que eu perdi meu melhor amigo e colega de quarto Martin Burgoyne e depois Keith Haring – feliz aniversário Keith – eu decidi realmente revidar.

A-R-T-I-S-T-A! Obrigada por tudo, Madonna <3

Ela também comentou sobre a crise da AIDS no Malawi, o que a levou fazer o documentário “I am Because We Are” ou “Sou Porque Somos”. Além disso, ela tem uma organização para ajudar as crianças órfãs do país, com a construção de escolas, orfanatos e  hospital pediátrico. E, também, foi lá onde ela adotou quatro de seus 6 filhos!

“Assim que você entende o que significa amar, você entende o que te torna um ser humano (…) Madame X é uma guerreira livre!”

Assista o discurso completo aqui:

“Madame X”, o décimo quarto álbum de estúdio de Madonna, será lançado no dia 14 de Junho. Além de Maluma, Anitta, Quavo e Swae Lee também estão no disco.

Comentários

Topo