Menu Papel POP

Thiaguinho fala ao Papelpop sobre projeto acústico, conexão com o público e turnê na Europa

MAIS SOBRE:

Talentoso, ousado, alegre e curioso quando o assunto é música. Essa talvez seja uma definição precisa do que é Thiaguinho, de longe um dos nomes mais respeitados da música brasileira.

Pasme você, ele está às portas de completar vinte anos de carreira! A esta altura, devidamente aclamado e com incontáveis feitos em sua trajetória, o cantor, conhecido por suas faixas dançantes e embaladas por ritmos bastante tradicionais (pra não dizer alguns dos mais animados do país), resolveu apostar em seu mais recente lançamento em um formato diferente.

Para “AcúsTHico”, álbum lançado em meados de abril, o artista reuniu canções que de alguma forma tivessem um forte significado para si a fim de transformar suas bases em uma proposta mais intimista, como o próprio título indica. Organizando um repertório que conta ainda com um time de parceiros importantes, como Luan Santana e Rael, Thiaguinho mostra uma nova face de si.

Foi por isso que nós quisemos saber dele de onde surgiu essa ideia e falar sobre os acontecimentos recentes da carreira, entre eles duas apresentações lotadas no decorrer deste mês na capital paulista. Foi muito legal, vem ler!

Papelpop: Você é um artista bastante versátil, caminha rumo a duas décadas de carreira e já fez muita coisa. De onde surgiu a ideia de lançar um álbum acústico?

Eu senti a vontade de fazer um projeto diferente, que mostrasse uma outra faceta minha. Gosto de desafios e embarquei na aventura de fazer EPs acústicos. A receptividade do público foi tão positiva que resolvi fazer um trabalho mais completo, um álbum com 23 singles. Selecionei algumas canções românticas que fazem parte da minha história para este projeto, além de escolher a dedo faixas inéditas. Tenho um carinho muito grande por todas as músicas.

Com o lançamento de “AcúsTHico” nós vamos de um extremo a outro, das músicas explosivas e dançantes às mais intimistas. A partir destas duas propostas, você acha que é possível tocar as pessoas na mesma intensidade?

Com certeza. A música toca qualquer pessoa, independente do ritmo. O meu objetivo em todos os meus trabalhos é sempre transmitir uma mensagem positiva e um sentimento bom.

Você tocou em São Paulo recentemente em duas noites esgotadas. O que percebemos é que o público tem sido bastante receptivo com este show. Mesmo assim e com tanta experiência, ainda é possível sentir um frio na barriga?

Eu sempre sinto um frio na barriga! O palco é a coisa mais importante para mim. Eu me entrego por completo para que o público curta e se divirta durante as minhas apresentações. Fico imensamente grato quando vejo os shows lotados e a plateia me acompanhando em coro.

Agora você sai pelo Brasil com a turnê de “AcúsTHico” e não pudemos deixar de lembrar da sua passagem recente pela Europa. Já há planos para retornar?

Eu quero voltar sim, com certeza! Foi uma turnê incrível, fui recebido com muito carinho por todos os países que passei. Em outubro, estarei na Europa novamente!

Bora de parceria? Logo na faixa de abertura desse novo trabalho, “Eu Ando Mentindo Demais”, ouvimos sua colaboração com o Luan Santana. De quem partiu o convite?

Olha, era algo que a gente já conversava há bastante tempo! Só calhou de ser em um álbum meu. Há tempos conversávamos sobre fazer algo juntos e “Eu Ando Mentindo Demais” foi a escolha certa. Estou muito feliz com essa parceria e espero que a gente tenha outras oportunidades de cantar juntos novamente.

Você também divide os vocais com Atitude 67, Ah! Mr. Dan e Rael. Como foi isso?

Isso mesmo! Convidei os meninos do Atitude 67 para cantarem “Modo Avião” ao meu lado, uma música fala sobre a conexão entre um casal, que quando está junto se desconecta do que há ao seu redor. Já com Ah! Mr. Dan, decidimos cantar quatro músicas juntos de uma vez: “Eu Odeio Te Amar”, “Do Nada”, “Deus Quer” e “Eu Te Uso e Sumo”. Ele é um grande amigo. Para fechar, ainda contei com a participação do Rael em “Miopia Ocular”, uma grande canção que conta a história de um casal que só tem olhos um para o outro. São talentosíssimos!

Ainda existe um featuring dos sonhos?

Sim! Tenho muita vontade de gravar uma música com o Djavan. Ele é um artista incrível, que eu admiro bastante. É sem dúvida o meu featuring dos sonhos (risos).

“AcúsTHico” possui 23 canções, que formam um repertório bem completo. O que mais te influenciou no processo de seleção dessas faixas?

O álbum “AcúsTHico” é repleto de singles que eu gosto e me identifico bastante. Foi muito difícil decidir quais faixas integrariam este projeto. Cada hora eu queria acrescentar uma diferente. Mas fiquei muito satisfeito com a seleção final.

Outra coisa legal desse novo projeto é o lançamento semanal de clipes. O de “Eu Ando Mentindo Demais” e “A Estrada” já saíram e nos próximos sábados você libera outros quatro. Em eras de internet, você acha que o videoclipe ainda surte um impacto grande na maneira com que o seu trabalho atinge as pessoas?

Sim, acho sim. Cada vez mais, nós, como artistas, queremos lançar um projeto completo, 360. E está tudo cada vez mais integrado. O público gosta de consumir a música com o clipe. Neste sábado, eu lanço o vídeo de “Do Nada”. Fiquem de olho! Está lindo demais!

Para fechar, o que nós podemos esperar dos próximos clipes?

Muita música boa! Os próximos clipes são “Do Nada”, “Sem Ar”, “Eu Não Sou Os Outros” e “Versos Simples”, que serão lançadas nos próximos sábados. E não acaba por aí não! (risos). Já estou preparando meu próximo álbum de inéditas!

Comentários

Topo