Menu Papel POP

Em especial na MTV, Madonna revela detalhes sobre a criação de “Madame X”, mudança para Lisboa e parcerias

MAIS SOBRE:

“Madame X” chegou para valer. A divulgação do novo álbum de Madonna tem sido massiva e, uma semana após o lançamento de “Medellín”, carro-chefe do material que desembarca em junho nas plataformas e prateleiras de todo o mundo, a cantora foi a atração de um especial da MTV.

Direto de Londres, Madonna falou por cerca de 20 minutos sobre seu novo álbum e os passos que dará daqui em diante. No evento, que reuniu cerca de 200 fãs em quatro metrópoles do mundo, entre elas São Paulo, rolou um bate-papo com direito a perguntas feitas pelos fãs.

Na ocasião, a cantora não só liberou o clipe da faixa, em que aparece dando aulas de chá-chá-chá ao colombiano Maluma, como também revelou detalhes da produção. Nessa conversa, conduzida pelo apresentador Trevor Nelson, a cantora foi ao cerne do projeto e disse que seu interesse por Lisboa, grande influenciadora de “Madame X”, surgiu a partir de uma vontade do filho mais velho, David Banda, de ingressar no futebol.

“Lá ele nunca teria, você sabe, um dos mais mais altos níveis de treinamento nos Estados Unidos, então eu meio que rodei o mundo e fiz muita pesquisa, para encontrar o meu top 5 de academias para rapazes para treiná-lo. Lisboa foi minha cidade favorita entre as opções. Ele acabou ficando no Benfica e eu fui a Lisboa para me tornar uma mãe de jogador de futebol. Talvez seja a coisa menos esperada por vocês de uma garota controversa como eu, mas há algo de controverso nisso, né?”.

A cantora também disse que sua adaptação ao país foi um pouco complicada em virtude da rotina. A ideia de fazer música, que surgiu despretensiosamente, acabou sendo uma espécie de terapia.

“Não sou uma pessoa que sai com frequência para boates, mas comecei a me entrosar e a maioria das pessoas que conheci eram artistas, pintores ou músicos e comecei a ser convidada para ir à casa dessas pessoas e a fazer sessões acústicas, em que nos sentávamos à mesa para comer, beber e cantar. Começamos a tocar Fado, Samba… comecei a me questionar o que acontecia ali”.

Madonna disse que para além de ter sido concebido em Portugal e absorver dali inúmeras influências, “Madame X” também serviu como ponte para sons e referências nunca antes ouvidos por ela, oriundos de países como Angola, Guiné Bissau, Brasil, França, Espanha e Cabo Verde – todos, posteriormente, aproveitados para a constituição do lançamento.

“Tive o prazer de conhecer músicos de todos esses lugares e ser inspirada por todos eles. Foi assim que as canções surgiram”.

Quanto a pauta foi “Medellín”, Maluma fez uma participação especial via conferência. Direto de Miami, o cantor foi só amores para sua musa, que fez uma cobrança: ele ainda não tinha dito que roupa usaria no Billboard Music Awards hahahahaha Apresse isso aí, Juan! Foi nessa hora também que Madonna ficou brava com a MTV. Segundo ela, o tempo de participação do colega foi muito pequeno. Cadê o programa de uma hora!?

Ela também fez uma zoeira sobre o local de filmagens do clipe. Quando questionada sobre onde haviam gravado a produção, ela brincou dizendo que tudo foi um sonho, fazendo referência à letra.

“Tomei um trago e tive um sonho. Então acordei em Medellín”.

Com direção da dupla Diana Kunst e Mauro Morgo, conhecidos por seus trabalhos conceituais ao lado de nomes como Rosalía, o material surgiu a partir de mais uma pesquisa feita por Madonna. A rainha gostaria, em suas próprias palavras, de profissionais que agregassem um certo conceito ao que quer que se fosse produzir.

“Trabalhei com dois diretores de Barcelona, Diana e Mauro, e a principal razão pela qual quis trabalhar com eles foi que vi antes de mais nada fortes influências de pinturas surrealistas. Queria um vídeo que parecesse com uma pintura, por isso me senti tão interessada”.

Para arrematar, Madonna falou sobre sua decisão de trabalhar com o produtor Mirwaïs Ahmadzaï, um colaborador de longa data. Após assinar as produções de “Music” (2000), “American Life” (2003) e de algumas das faixas de “Confessions on a Dancefloor” (2005), o francês recebeu um novo chamado. Sobre a experiência, ela não pestanejou na hora de fazer elogios.

“Foi maravilhoso. Eu não estava certa se ele poderia ser o diretor, mandei a ele algumas músicas com o típico violão português e perguntei o que ele podia fazer com aquilo. Ele me respondeu alguns dias depois, estávamos na mesma onda. Ele é muito inteligente, super aculturado, um cara bastante político. Foi inevitável que nao trabalhássemos com esses temas”.

CHEGA LOGO, JUNHO! Enquanto isso, vai assistindo ao clipe de “Medellín”:

Comentários

Topo