Menu Papel POP

Apple lança streaming poderoso com Spielberg, Oprah, Jennifer Aniston e outros no elenco

A semana começou com tudo! Ainda há pouco, no início da tarde desta segunda-feira (25), rolou em San Francisco, Califórnia, um dos momentos mais esperados do ano para quem curte tecnologia: um evento de lançamento da Apple.

A cereja do bolo, sem dúvida alguma, ficou por conta dos novos serviços ligados à Apple TV. Pensando em promover uma experiência mais integral no que diz respeito ao uso da televisão, foram apresentadas duas novas criações: a primeira delas foi a Apple TV Channel, lançamento que une tanto serviços de streaming como o Hulu e o Amazon Prime, quanto canais de TV como a HBO e o Showtime em um só lugar.

Partindo da ideia central de reinventar toda a interface já disponível, a partir de agora o usuário terá maior liberdade para escolher o que quer assistir. Por falar nisso, a Siri deve ter uma missão bastante importante no processo, já que pode ajudá-lo dando dicas e até selecionando o que ver mais tarde. A novidade desembarca em maio e inclui, além de acesso exclusivo a conteúdos de esporte, uma sessão só para crianças.

Durante o evento, algumas figuras ilustres também subiram ao palco para falar do Apple TV+, segunda e muito provavelmente a mais importante novidade da empresa neste semestre. O diretor Steven Spielberg foi quem fez as honras de algo que nós já vinhamos especulando há alguns meses. Ele anunciou, ao lado de outros parceiros da companhia, uma série de filmes e séries exclusivos nesta que deve ser uma forte concorrente da Netflix.

Que páreo acirrado! De sua autoria, por exemplo, surge “Amazing Stories”, produção voltada para a narrativa de histórias de pessoas anônimas.

Para endossar esse time, na sequência foi a vez do trio Jennifer Aniston, Steve Carell e Reese Witherspoon aparecer no palco principal. Juntos, eles tomaram a palavra para anunciar outro novo projeto, “The Morning Show”. A série, protagonizada pelo três, segue uma linha de raciocínio tal qual o título indica e deve estar centrada nos bastidores de um programa de TV matinal.

Outros nomes bem conhecidos que passaram por lá foram Jason Momoa, que falou um pouco de “See”, sua nova série, Kumail Najiani, responstável por “Little America”, outro lançamento exclusivo listado para estrear na Apple TV+, que comportará online e offline novos lançamentos a cada mês em todo o mundo.

Sabe quem surgiu na sequência? A deusa Oprah Winfrey, outra das novas colaboradoras do projeto. Ela, por sua vez, lança mais um programa.

Por enquanto, não foram revelados valores dos produtos televisivos. Neste vídeo é possível ver o time de atores, cineastas e apresentadores recrutados para o projeto apresentando suas perspectivas de mundo e comentando sobre o que vem por aí:

Não parou por aí. Antes disso, o público pode refletir um pouco sobre o quanto o mundo precisa mais do que nunca de informação… logo, eis uma alternativa. O primeiro anúncio da manhã foi uma versão atualizada do Apple News, serviço já disponível no mercado, intitulada Apple News+.

Lançado originalmente em 2015 com a chegada do iOS9, esse tipo de assinatura funciona segundo a lógica de uma plataforma de streaming como o Spotify ou a Netflix. Agora com mais de trezentas revistas em seu catálogo, o Apple News+ traz à palma da mão do assinante os mais variados temas e assuntos, seja entretenimento, política, moda, comportamento, viagem, gastronomia ou cultura.

Sabe o que é melhor? Todo esse serviço chega sem publicidade, a fim de tornar a experiência de leitura a mais completa possível! Outra coisa legal é que a novidade também oferece, além do conteúdo previsto, versões especiais de artigos e reportagens publicados em revistas como Rolling Stone e National Geographic, além de jornais de viés mais tradicional, como o The Wall Street Journal.

Disponível nos Estados Unidos e no Canadá, o Apple News+ chega em dois idiomas, inglês e francês. O Brasil (assim como os demais países) segue sem previsão de lançamento. O valor gasto com todas essas revistas mensalmente seria de US$ 8000. A assinatura, por sua vez, sai por US$ 9,99/mês e o primeiro mês é grátis!

Na sequência, chegaram novidades ligadas ao financeiro. Além da plataforma de leitura, a empresa também anunciou o Apple Card, um cartão de crédito próprio, com bandeira mastercard e sem taxas! Com juros abaixo da média, o produto oferece ainda um sistema de recompensa e milhas que funciona como cashback.

Ou seja, a cada vez que você usar o seu cartão, ele te devolve 2% do valor (3% se você fizer a compra de produtos Apple). Criado inicialmente para ser usado no iPhone, deve ser lançada também uma versão física, assim como qualquer outro cartão de crédito. Ficou curioso sobre como as transações podem ser consultadas? Basta abrir o seu Apple Pay. Teve um problema e não sabe a quem recorrer? Os atendimentos para dúvida (pasmem!) serão feitos via iMessage!!!

Outro ponto interessante é o uso de inteligência artificial e GPS que faz um balanço dos gastos dos clientes a fim de cuidar da sua situação financeira. Sabe como é, pra você se ligar no que consome e não se atropelar.

O Apple Arcade é outra função maravilhosa. Com mais de 300 mil jogos disponíveis para iOS, já era hora de pensar em expandir a plataforma neste quesito. Deste modo, a emprega entrega também o chamado Apple Arcade, um serviço de assinatura  totalmente voltado para games, desenvolvido em parceria com algumas das principais empresas do mundo.

Desta forma, o serviço oferece em iPhones, iPads, Apple TVs e Macbooks cerca de 100 novos games, tanto online quanto offlines! Diferente dos demais, o serviço chega disponível em mais de 150 países e permite aos pais ter o controle total da conta utilizada pelos filhos. O lançamento deve acontecer já na Primavera (do Hemisfério Norte) e segue, por enquanto, sem ter valores divulgados.

Assim como os demais produtos anunciados, o Apple Arcade não conta com publicidades.

A gente mal pode esperar pra ter acesso a isso!

Comentários

Topo