Menu Papel POP

Janelle Monáe dedica suas indicações ao Grammy à suas irmãs e irmãos trans

MAIS SOBRE:

Amar Janelle Monáe nunca é demais. Isso é um fato.

A cantora estadunidense está concorrendo em duas categorias ao Grammy, a de Álbum do Ano com Dirty Computer e Melhor Videoclipe com Pynk.

No Fem The Future Brunch, que rolou sexta-feira (08), no West Hollywood, Janelle disse à Variety que dedicava suas nomeações à “seus irmãos e irmãs transexuais”.

“Meus irmãos e irmãs trans, eles fazem isso todos os dias. E eles são evitados e não representados nesse tipo de eventos. Então, minhas nomeações são para eles.”

Além disso, Monáe aproveitou para falar sobre a falta de representatividade em premiações como o Grammy.

“Durante anos, assisti a esses programas e não via representação. O fato de que Dirty Computer é um álbum que é sobre mim e também sobre uma comunidade de vozes marginalizadas e silenciadas e isso ser indicado ao Grammy já significa o mundo para mim”

Janelle também sobre o fato de algumas pessoas terem orientado ela a não levantar essa bandeira publicamente.

“Meu objetivo nunca foi se encaixar em nenhum tipo de categoria, e quando você pensa ‘fora da caixinha’ e diz: ‘Ei, também, eu sou uma mulher negra queer’, algumas pessoas podem ter um pouco de medo de tornar isso público. E o que isso significa e como você comercializa isso e todas essas coisas. Mas não foi assim para mim. Sempre caminhar com verdade”

Em 2018, Janelle Monáe se assumiu publicamente pan e bissexual.

Comentários

Topo