Menu Papel POP

Ariana Grande responde críticas após ser acusada de explorar público LGBTI+

Rola entre os dias 23 e 26 de agosto deste ano em Manchester, na Inglaterra, o festival “Manchester Pride”, festa que celebra como o próprio nome diz o orgulho LGBTI+. O line-up foi divulgado nesta semana e a artista que encabeça a lista de atrações é Ariana Grande.

A cantora, é sabido, tem uma relação bastante próxima (e também delicada) com a cidade, em virtude do atentado terrorista promovido por membros do grupo Estado Islâmico durante um show seu em maio de 2017. Na ocasião, 22 pessoas morreram.

No entanto, o anúncio de seu nome como uma das headliners não agradou a muita gente. Nas redes sociais, as críticas vieram aos montes e a maior parte delas questionava o fato de a organização convidar uma artista heterossexual para um festival que promove a representatividade gay.

Após o anúncio, a galera se sentiu duplamente incomodada por outro aspecto: o aumento no valor dos ingressos. Em resposta a um comentário que acusava a organização de explorar o chamado “pink money”, Ariana publicou uma carta na tarde desta quarta-feira (27) em que responde à avalanche de comentários adereçados a ela.

No documento, a artista diz que não tem qualquer ligação com os organizadores para poder opinar quanto ao preços cobrados pelas entradas e que sua relação com a comunidade, mesmo não pertencendo a ela, é de apoio. Ela também ressaltou que outras artistas hétero, como Kylie Minogue e Cher, nunca foram criticadas por estarem à frente da luta.

Leia na íntegra:

“Vi muitas pessoas discutinho isso, então eu quis interromper. Espero que esteja tudo certo. Oi, meu amor. Não tenho nada a ver com o valor dos ingressos, o Manchester Pride é quem define os preços e eles estão fora do meu controle. A comunidade LGBT tem sido muito especial para mim, me apoiando durante toda a minha carreira. As relações que eu tenho com meus fãs LGBTQ, amigos e minha família me fazem muito, muito feliz. Quero celebrar e apoiar essa comunidade, independentemente da minha identidade ou de como as pessoas me rotulam. E também quero visitar uma cidade que significa muito para mim. A representação LGBTQ é incrivelmente importante e eu sempre tenho orgulho de dividir o palco com artistas LGBTQ. Ao longo dos anos, eventos como paradas do orgulho LGBTQ tem sido liderados por artistas de todas as orientações sexuais e gêneros, incluindo aliados heterossexuais como Cher e Kylie Minogue. Realmente acho que há lugar para todos nós falarmos sobre essas questões sem igualar uma performance *para* o público LGBTQ como exploração da comunidade LGBTQ. Se você de verdade sente que eu não mereço que me ofereçam esse lugar, eu respeito isso. Mas eu aceitei animadamente e cheia de gratidão. Eu não estou pedindo para ser a heroína da comunidade ou a cara do movimento pelos direitos LGBTQ. Só quero fazer um show que faça meus fãs LGBTQ se sentirem especiais, celebrados e apoiados. É tudo que quero.”

E a gente te agradece por tudo, Ariana <3 Que tudo termine bem!

Comentários

Topo