Menu Papel POP

Família de Michael Jackson critica documentário sobre o cantor e chama de “linchamento público”

MAIS SOBRE:

“Nós não podemos apenas ficar de pé enquanto este linchamento público continua e os abutres do Twitter e outros que nunca encontraram Michael vão atrás dele”, disse a família de Michael Jackson em comunicado veiculado nesta segunda-feira (28) na imprensa.

“Michael não está aqui para se defender, caso contrário, essas alegações não teriam sido feitas”, falou a família em nota.

O pronunciamento da família do rei do pop chega logo após a exibição e a divulgação de um documentário exibido na última sexta-feira (25) no Festival Sundance. A obra, chamada Leaving Neverland, promete “provar” abusos que Michael Jackson teria cometido com crianças.

Em nota, a família disse estar chocada e ao mesmo tempo orgulhosa do que Michael representa. Em 2005, Michael foi investigado sobre as alegações de pedofilia, disse ser inocente durante o julgamento e foi absolvido por unanimidade.

Abaixo, o comunicado na íntegra:

“Michael Jackson é nosso irmão e filho. Estamos furiosos com o fato de a mídia, que sem nenhuma prova física, ter escolhido acreditar na palavra de dois mentirosos sobre a palavra de centenas de famílias e amigos ao redor do mundo que passaram algum tempo com Michael, muitos em Neverland, e experimentaram sua bondade lendária e generosidade global. Estamos orgulhosos do que Michael Jackson representa.”

 

“As pessoas sempre gostaram de ir atrás de Michael. Ele era um alvo fácil porque ele era único. Mas Michael foi submetido a uma investigação completa que incluiu uma invasão surpresa de Neverland e outras propriedades, bem como um julgamento com júri, no qual Michael foi considerado COMPLETAMENTE INOCENTE. Nunca houve uma prova de nada. No entanto, a mídia está ansiosa para acreditar nessas mentiras.”

 

“Michael sempre dava a outra face, e sempre demos a outra face quando as pessoas foram atrás de membros da nossa família – esse é o jeito de Jackson. Mas nós não podemos apenas ficar de pé enquanto este linchamento público continua, e os abutres do Twitter e outros que nunca encontraram Michael vão atrás dele. Michael não está aqui para se defender, caso contrário, essas alegações não teriam sido feitas.”

 

“Os criadores deste filme não estavam interessados ​​na verdade. Eles nunca entrevistaram uma única alma solitária que conhecesse Michael, exceto os dois perjuros e suas famílias. Isso não é jornalismo, e não é justo, mas a mídia está perpetuando essas histórias.”

 

“Mas a verdade está do nosso lado. Vá fazer sua pesquisa sobre esses oportunistas. Os fatos não mentem, as pessoas fazem. Michael Jackson foi e sempre será 100% inocente dessas falsas alegações.”

Sobre o documentário:

Dirigido por Dan Reed, o documentário de quatro horas traz depoimentos de Wade Robson e James Safechuck, que alegaram ter passado muito tempo no rancho do cantor, onde os abusos teriam acontecido nos anos 1990.

Com quartos secretos e manipulação feita nas crianças, o projeto documental mostra mensagens amorosas enviadas por fax, camas escondidas e as supostas estratégias do cantor para destruir as provas.

Leaving Neverland ainda não tem previsão de estreia no Brasil, porém o documentário será exibido em duas partes pela HBO nos Estados Unidos, com previsão de estreia para a primavera norte-americana.

Scream, em 1995

Durante os julgamentos e a perseguição dos tablóides por conta das acusações de abuso sexual em menores de idade, Michael Jackson gravou Scream e lançou uma música e um clipe em dueto com a sua irmã, Janet Jackson, falando sobre as frustrações da época.

Comentários

Topo