Menu Papel POP

Os 10 melhores álbuns de 2018 de acordo com os leitores do Papelpop

Nós perguntamos para vocês e fomos ouvidos. Queríamos saber os álbuns que mais agradaram os ouvidos de vocês ao longo de 2018. Abrimos uma votação no início de dezembro, recolhemos mais de 16.000 votos e, cá entre nós? A maioria dos materiais eleitos já fazia de nossa escolha também, que iremos publicar amanhã. Então estamos conectados! \o/

Então vamos para a lista: os 10 melhores discos de 2018 de acordo com a vossa preferência…

10. Dona de Mim, Iza

Sem dúvida um dos maiores presentes que 2018 nos trouxe foi o debut da Iza. Meu Deus, uma artista completa, que escancara em qualquer coisa lançada com o seu nome um talento inesgotável. Neste disco, ela se apresenta com uma voz imponente e um som pop que simplesmente não te deixa ficar parado. Dona de Mim é um daqueles álbuns de estreia que entram de cara para a história. Versátil, empoderado e agitado na medida certa <3

9. Nós, VOZ, Eles, Sandy

Ela sempre foi querida por todos nós, desde criança. O que a gente viu com o projeto Nós, VOZ, Eles, lançado pela Sandy em etapas ao longo de 2018, foi que ela segue ocupando um lugar especial nos nossos corações – e no de cada um dos artistas que toparam fazer parte do projeto. Ao todo são 8 participações, entre elas a própria Iza, o duo ANAVITÓRIA, Melim, Maria Gadú e a dupla do pai, Chitãozinho & Xororó. Poético demais!

8. HONEY, Robyn

Não poderia ser diferente, sempre ela! Valeu a pena esperar oito anos para ter um novo material da Robyn. O disco vem cheio de sensações e com um convite para embarcar ainda mais fundo no universo levemente melancólico da artista – o que não significa que não haja faixas pra se jogar. Perfeito, sem mais!

7. El Mal Querer, Rosalía

A Espanha tem uma nova rainha e ela não pertence à linhagem da família real. Rosalía é sem dúvida a grande revelação do pop. Apesar de já ter um álbum lançado em 2017, intitulado Los Ángeles, a artista se consagrou mesmo foi neste ano ao lançar o single Malamente. Uma mescla curiosa de pop, trap, hip hop e (pasmem) flamenco. É o som que a gente pediu, atracado com composições sensíveis e muito reais sobre o término.

6. Sweetener, Ariana Grande

Quem nasceu pra ser hitmaker, sempre será. Ariana Grande nunca erra na hora de produzir um novo álbum e desta vez, é claro, não poderia ser diferente. A artista entregou em 2018 Sweetener, um trabalho bastante sincero e com composições muito pessoais. Foco no feminismo, na maturidade e na crescente criatividade… alguém tem dúvida de que God is Ariana?

5. Dirty Computer

A palavra para definir Dirty Computer, disco mais recente de Janelle Monáe, é poder. Com dedo no Prince na produção (o disco foi um dos últimos trabalhos em que o artista participou antes de morrer), o álbum é composto tanto por hits, quanto por faixas nada comerciais que te deixam sempre com vontade de ouvir a voz e os sons da artista no repeat.

Incrível demais, pra salvar inteiro na playlist SIM!

4. A Star is Born, Lady Gaga e Bradley Cooper

Este daqui a gente tava esperando só a posição, porque no fundo sabíamos que entraria nesta lista. Não tem jeito, 2018 foi o ano de Lady Gaga no cinema. Ela precisava desse momento pra mostrar de uma vez por todas sua versatilidade, e claro, o quanto sua aderência musical é gigante.

Que faixas maravilhosas, minha nossa. Como superar Shallow? A versão de La Vie en Rose? COMO IGNORAR I’LL NEVER LOVE AGAIN? Nós nunca mais vamos amar uma soundtrack como esta, isso sim! Você quer o Oscar, Gaga? A gente te dá!

3. Caution, Mariah Carey

Ela pode até não conhecer a sua fav, mas você… você sem dúvida já ouviu falar do legado de Mariah Carey. Em novembro, já no finzinho de 2018, a artista liberou seu décimo quinto álbum de estúdio. Um revival necessário para todos que se aventuram no R&B entendam de uma vez por todas que como Mimi não há mais ninguém! É a voz, viu? E que baladas!

Vale tocar no repeat!

2. Liberation, Christina Aguilera

Ela não lançava materiais inéditos desde 2014, então já tava na hora né? Christina Aguilera nunca, você leu bem. NUNCA, decepciona. Com Liberation, por exemplo, ela trouxe ainda mais originalidade ao seu trabalho, em um disco recheado de pontos positivos e agradinhos para os fãs.

A questão é que ela, mais uma vez, se estabeleceu como um dos grandes nomes do pop internacional. E e a gente pode dizer, que voz, viu? Quer indicação de uma faixa? Fall in Line, com a Demi Lovato. Que união, viu?

1. Não Para Não, Pabllo Vittar

Ouviram o som da buzina? É o anúncio de que Pabllo Vittar foi indiscutivelmente a artista mais votada como melhor álbum do ano. A gente nem tinha dúvidas! Não Para Não, segundo álbum de estúdio dela, é pura tentação, emoção, fritação. Quem resiste a essa fusão de ritmos brasileiros? É tudo impecável, perfeito pra fazer a gente cair na pista.

Foi super merecido e é justamente pra lá que a gente vai agora comemorar!

Afinal, quais destes é o seu favorito? A gente lembra que em 2019 tem mais!

Comentários

Topo