Menu Papel POP

O que a crítica vem falando do filme europeu Conquistar, Amar e Viver Intensamente

Conquistar, Amar e Viver Intensamente estreia dia 20 de dezembro e é um romance francês, dirigido por Christophe Honoré.

O longa nos leva de volta ao ano de 1993, onde o choque e o estigma inicial da AIDS já estava sendo deixado de lado mas o diagnóstico ainda era terminal. Assim acompanhamos a história de Arthur, um estudante de 20 anos que vive em Rennes. Sua vida muda no dia em que ele conhece Jacques, um escritor que mora em Paris com seu filho. Durante o verão, Arthur e Jacques se divertem e se amam. Mas esse amor, Jacques sabe que deve ser vivido rapidamente.

Parte da seleção oficial do Festival de Cannes, foi muito elogiado pela crítica na ocasião. O filme possui 86% de aprovação no Rotten Tomatoes e nós separamos algumas críticas dos principais sites de entretenimento.

“Durante anos, os “filmes gays” eram praticamente um gênero em si mesmos, perfeitamente encaixados em uma de três categorias: histórias sobre se assumir gay, histórias sobre amor não correspondido e histórias sobre o impacto da AIDS. Conquistar, Amar e Viver Intensamente consegue passar por todas as categorias sem cair em nenhuma, e embora não seja o primeira a fazer isso (a maioria dos festivais LGBT se dedicam para representar uma variedade muito mais diversificada de experiências hoje), ela é considerada um lançamento mainstream na França e não pede desculpas sobre o abordagem franca da sexualidade de seus personagens e representa um grande passo na forma como são retratadas as relações homossexuais na tela.” VARIETY

“Difícil de digerir, um lindamente encenado, Conquistar, Amar e Viver Intensamente […] contém momentos de inteligência profunda e beleza comovente. É um olhar épico, díptico, em duas vidas convergindo, uma de muitas maneiras apenas começando, a outra tropeçando até o fim. […] O filme é, afinal, sobre um importante ponto de virada na história da comunidade gay, capturando um momento que existiu ao longo de uma falha, quando uma geração de homens gays brevemente tocou os dedos com outro antes que esse elo, para muitos, se perdesse para sempre.” VANITY FAIR

“Um filme radiante. Vibrante e emocionante. Honoré constrói com calor, inteligência e mais do que uma pitada de travessura. Os dois protagonistas oferecem performances luminosas e profundamente fascinantes; É um prazer vê-los flertar e descobrir o caminho para algo mais significativo. Há também generosidade e compaixão aqui, muito mais profundas do que o habitual “. THE HOLLYWOOD REPORTER

“Conquistar, Amar e Viver Intensamente é um prazer sem remoro.[…] As linhas têm uma picada consistentemente espirituosa e picante; as vozes que ouvimos pertencem a homens que são, ao mesmo tempo, inteiramente confortáveis em sua pele e, ainda assim, sem medo de descobrir coisas novas sobre si mesmos.[…]
O diálogo está repleto de discussões de Rimbaud, Walt Whitman, W.H. Auden e Christopher Isherwood, e o roteiro intelectualmente amplo de Honoré, não trata essas referências como digressivas ou ornamentais. Entre outras coisas, ‘Conquistar, Amar e Viver Intensamente’ é uma afirmação carinhosamente detalhada da identidade masculina gay, embora nunca se sinta tão diagramada ou predeterminada como essa descrição.” LOS ANGELES TIMES

“Apesar de sua ambientação em 1993, essa não é uma visão calorosa e nostálgica da vida nos anos 90. ‘Conquistar, Amar e Viver Intensamente’ é muito sobre um tempo, um lugar e um sentimento, mas ainda sim parece vital. Embora a AIDS desempenhe um papel importante no filme, não é a característica que define Jacques, e ele não deixa que isso domine todos os momentos da sua vida. Apesar dos momentos de tristeza e perda, o drama de Honoré não é uma vida sombria sobre a dor do passado. Há momentos de alegria e humor por toda parte, e o filme insiste em sentir essas emoções, tanto quanto o sofrimento.” THE PLAYLIST

“Há algo sobre os filmes feitos na França. Eles parecem ser capazes de retratar a condição humana seja humor, drama ou romance de um modo mais adequado do que os outros.” ORCA SOUND

Conquistar, Amar e Viver Intensamente merece encontrar uma audiência internacional, não só porque é tudo tão francês, mas toda a beleza jovial e a sagacidade de graça.
[…] a visão de Conquistar, Amar e Viver Intensamente é autenticamente queer, com alguns cortes inovadores que misturam o imaginário com o real […] Daily Telegraph (UK)

“O trabalho mais emotivo e subestimado do realizador francês Christophe Honoré é um comovente tributo à arte e à cultura do início dos anos 90 na França, traçando obsessões criativas jovens e velhas, e atinge uma nota que afirma a vida e melancólica.[…] Honoré transforma as circunstâncias sórdidas em uma declaração coletiva sobre a relação entre o desejo e a comunidade que está no centro da convincente tese do filme.[…]
A vida é mais burra do que os filmes”, diz Jacques, e “Conquistar, Amar e Viver Intensamente” representa o firme esforço de Honoré para melhorar essa equação.” Indie Wire

O filme estreia no Brasil dia 20 de dezembro.

Saiba onde o filme irá ser exibido no Brasil:

Belo Horizonte – Cinema Belas Artes e Net Cineart Ponteio

Brasília – Cine Cultura Liberty Mall e Espaço Itaú

Maceió – Cine Arte Pajuçara

Niterói – Reserva Cultural

Porto Alegre – Guion Center

Rio de Janeiro – Cine Joia, Estação Net Rio, Cine Casal Santa Teresa, Cine Casal Barra Point, Espaço Itaú de cinema Rio de Janeiro

Salvador – Saladearte Cinema da UFBA, Saladearte Cine Paseo

Santos – Cine Espaço

São Paulo – Reserva Cultural, Espaço Itaú Augusta e Caixa Belas Artes

Comentários

Topo