Menu Papel POP

Em entrevista à Billboard, Ariana Grande fala sobre luta contra o sexismo na indústria

A gente comentou aqui em novembro sobre a escolha da Billboard para o prêmio de Mulher do Ano. É claro, o troféu não poderia ir para outra pessoa se não Ariana Grande! Gente, olha o que essa mulher fez ao longo de 2018. Ano pra ninguém botar defeito!

Eis que nesta quarta-feira (5), chegou às bancas a revista com a edição do mês de dezembro. Na capa, Ariana deu uma super entrevista e comentou sobre os mais variados aspectos. Ela se disse meio azarada, apesar de ter conseguido tantas coisas. O nível de arrependimentos, segundo a cantora, é zero.

“Eu cheguei a um estágio onde eu poderia fazer coisas como lançar uma música de surpresa e isso simplesmente se tornar o maior single da minha carreira”.

Ari também disse que sua luta contra o sexismo na indústria está só começando. De acordo com ela, God is a Woman foi o maior exemplo de como a perseverança e a prova de que as paradas podem ser mais equilibradas.

“Eu ia amar ver uma parada com tantas mulheres no topo quanto homens, é tudo dominado por eles e tão facilmente. Há tantas artistas mulheres inacreditáveis por aí, que tentam muito mais e os homens não conseguem aceitar o fato de que as mulheres são um milhão de coisas, e não apenas duas. Você consegue ser adorável e brilhante. Você consegue ser amigável e boba, e ainda assim alguém forte e indestrutível. Você pode ser uma profissional, e ser presente. Ser sexualmente ativa e divertida também”.

Resultado de imagem para ariana grande thank u next gif

Acha que acabou? Ela também comentou sobre o fato de ditar as próprias regras. Para Ariana, a indústria não tem que dizer o que ela deve ou não fazer. Se ela quiser soltar thank u, next em plena divulgação do disco anterior? Tudo certo.

“Não quero fazer o que me dizem pra fazer, não quero me conformar com a agenda de uma estrela. Quero fazer tudo nos meus termos daqui pra frente. Quero fazer uma turnê com dois álbuns, e se eu quiser lançar um terceiro disco enquanto estiver rodando o mundo, também farei isso. Por favor. O Social House é meu ato de abertura. Você não acha que vamos ter um estúdio no ônibus da turnê? Que não vamos fazer música na estrada? É claro! Eu só quero ser capaz de criar algo que seja autêntico, hones e natural. É o único jeito de sobreviver”.

Fada indomável! Vem ver as fotos do ensaio:

Comentários

Topo