Menu Papel POP

As 15 melhores séries que tiveram sua estreia em 2018!

Se vocês são como eu, são série-maníacos e sempre estão por dentro do que está estreando! E, em 2018, saíram vários seriados bons que valem muito a pena ver, mesmo se você não ouviu muito burburinho sobre eles!

Desta forma, o PapelPop separou as 10 melhores séries do ano! A disputa ficou bem acirrada, já avisando!

Netflix, HBO e Amazon estão dominando a lista. Vem cá ver se você concorda e depois nos diga quais destas você já viu ou está sedento para começar!

On My Block

Ok, convenhamos: On My Block é melhor série teen de comédia da Netflix, de longe! Além de não ter quase brancos no elenco principal – que é um milagre -, fala de maneira sucinta e leve sobre racismo, estereótipos da comunidade latina e violência de gangues.

O enredo é sobre um grupo de jovens latinos e negros, que moram num bairro periférico de Los Angeles, onde têm que lidar com seus problemas familiares, amorosos e a gangue que cresce no bairro. Personagens como a Abuelita e Jamal deixam a série muito engraçada e você ri e chora em certos episódios. Spoiler alert: O final da temporada é um tiro no peito.

Vale muito a pena ver se você busca comédia leve e reflexiva e diversidade no elenco. A série entrou no catálogo da Netflix em março de 2018 e já foi renovada para uma segunda temporada! UHU!

 

Sharp Objects (Objetos Cortantes)

Que hino de série é esse, minha gente?

Adaptação do livro de mesmo nome de Gyllian Flynn, Objetos Cortantes conta a história de Camille Preaker (Amy Adams), uma repórter que é forçada por seu editor a retornar à sua cidade natal para investigar um assassinato e o
desaparecimento de duas adolescentes. Só que, ao lidar com esses crimes, Camille entra em contato com sua mãe que não falava há tempos, acaba se afundando em seus problemas psicológicos e tenta “lidar” com seus traumas através da autodepreciação, e aos poucos vamos entendendo o porquê disto.

Com a investigação dos crimes vamos conhecendo mais sobre a vida e infância conturbada de Camille. Sempre negligenciada pela mãe, Adora, sua irmã morre de maneira misteriosa quando criança. Sem apoio familiar nenhum, a protagonista se afunda em depressão, no álcool e na automutilação.

HBO mostra mais uma vez que é craque em fazer adaptações literárias para as telinhas. Sharp Objects, que estreou em julho, entra na lista de uma das melhores séries do canal, sem dúvidas.

A série tem uma narrativa sensível, intensa e de tirar o fôlego. A trama pode parecer com um ritmo lento à princípio, mas é o tempo certo para conseguir “engolir” certas cenas. As reviravoltas são inesperadas e a série pode ser muito pesada para alguém com transtornos psicológicos e/ou que tenha um ambiente familiar conturbado como Camille.

O diretor do canal confirmou que não teremos uma segunda temporada, já que a história do livro foi toda contada. Confesso que dá um gostinho de “quero mais” e curiosidade em saber o que houve com Camille após o final. Ela ficou bem? Como ela está lidando com tudo o que aconteceu? São perguntas que serão respondidas pela imaginação de cada telespectador.

 Maniac

Minissérie limitada da Netflix, Manic recebeu críticas diversas. Muitas pessoas amaram e outras já não entenderam muita coisa. A princípio, a série confunde sua cabeça com vários simbolismos e metáforas, mas é um show de atuação de Emma Stone e Jonah Hill.

Dirigida por Cary Fukunaga, Maniac, que estreou no final de setembro, tem uma estética bem oitentista só que futurista ao mesmo tempo. É uma imersão profunda no psíquico dos personagens, com alusão ao universo literário e fantástico, sem perder o fio da meada.

Na trama,  Owen (Jonah Hill) e Annie (Emma Stone) acabam virando cobaias de um medicamento (composto por três pílulas) que promete curar a depressão e nunca mais fazer o paciente precisar de terapia.

Ambos com um passado traumático, Annie acaba buscando seu refúgio em uma das pílulas enquanto Owen só quer se ver livre da família que o esnoba.

A série é muito mais complexa e inteligente do que podemos explicar. Para entender é só assistindo! Sério, é sensível e lindíssima, assistam :)

 

O Mundo Sombrio de Sabrina

Bruxaria & alegria!

O Mundo Sombrio de Sabrina conquistou nossos corações com esta nova releitura dark cheia de elementos do ocultismo e satanismo. Praise Satan, am I right?

É beeem diferente de Sabrina, A Aprendiz de Feiticeira, porém é muito boa também! Só falta o Salem falar, né?

A nova série da Netflix começa com Sasá bem perto de completas 16 aninhos e ela precisa fazer uma escolha: o mundo das bruxas e louvar ao Dark Lord ou o mundo dos mortais. Daí é só aventura. E alguns elementos sinistros!

 

Queer Eye

Queer Eye estreou na Netflix em fevereiro de 2018 e é, na verdade, um reboot da versão Queer Eye For the Straight Guy!

Jonanthan, Anthoni, Karamo, Tan e Bobby nos encantaram com seu humor, estilo, decorações e, acima de tudo, lacryyy!

A série é em estilo reality show de transformação, ou seja, pegam uma pessoa e fazem uma makeover não só na aparência, mas nos hábitos e vida dela. Geralmente homens que são alvos da makeover, mas tivemos a participação de uma mulher e até um homem trans! Muito legal, né?

Fiquem aqui com um gif do Jonathan porque ele é tudo na nossa vida!

 

Homecoming

Série da Amazon Prime Video, Julia Roberts é a grande estrela de Homecoming. São 10 episódios de meia hora e tem um clima de suspense que vicia e faz você querer maratonar tudo num dia só.

Homecoming conta a história de Heidi Bergman (Julia Roberts) uma garçonete num restaurante sebento de beira de estrada que começa a se dar conta de que não se lembra de uma parte de seu passado. No momento (que é o futuro), um oficial do Departamento de Defesa americano aparece para fazer perguntas sobre o lugar em que ela trabalhava uns anos antes, uma instituição que recebia soldados que voltavam de suas missões fora dos EUA.

O nome da instituição era Homecoming e Heidi não se lembra de quase nada. Com o tempo, nós vamos entendendo o que se passa. Ela trabalhava como terapeuta e o local pertencia a um grande conglomerado empresarial.

Heidi entra no cargo achando que seu trabalho é ajudar os soldados a se ajustarem à vida civil. Mas não é nada disso e ela vai descobrindo que o tratamento dos traumas de guerra dos soldados é uma espécie de experimento do qual a mesma faz parte.

Boa parte da fotografia da série é close na cara de Julia Roberts e nós amamos – também somos obcecados nela! Todos os episódios foram dirigidos por Sam Esmails (Mr. Robot) e é muito boa, mesmo. Vale a pena assistir ;)

 

 Killing Eve

Para quem sentiu falta da Christina de Grey’s Anatomy, calma que tem muito mais dela nas telinhas!

Protagonizada por Sandra Oh e Jodie Comer, Killing Eve é uma série britânica inspirada nos romances Codename Villanelle, de Luke Jennings.

A trama gira em torno de Eve Polastri (Sandra Oh) que tem uma vida medíocre como segurança em uma empresa, e tem um desejo enorme de se tornar espiã. Então, quando uma oportunidade aparece de se tornar uma agente do MI5, ela mergulha de cabeça na procura de uma assassina, Villanelle (Jodie Comer), uma criminosa f*dona!

Villanelle  é uma a órfã russa que, depois de matar os assassinos do pai, é recrutada por um grupo secreto para ser assassina de aluguel.

Com duas indicações ao Globo de Ouro – de Melhor Série Dramática e Atriz em Série Dramática para Sandra Oh –, Killing Eve está em catálogo na GloboPlay aqui no Brasil.

A série mistura suspense, drama e comédia na medida certa. Vale a pena assistir neste finalzinho de ano!

 Bodyguard

Quem sente falta do Robb Stark em Game Of Thrones? O ator que o interpreta, Richard Madden, está de volta em uma nova série totalmente diferente da anterior.

Vale ressaltar que não é um remake do filme Bodyguard (O Guarda-Costas) com a Whitney Houston, tá bem? Hahah

A série foi nomeada a DOIS Golden Globes: Melhor Ator em Séries de Drama para Richard e Melhor Série Dramática de Televisão.

Da BBC e transmitida pela Netflix, Bodyguard conta a história de David Budd, um veterano de guerra que é designado para proteger a Secretária do Estado, Julia Montague (Keeley Hawes), cuja visão política é extremamente contrária à sua e Budd se vê dividido entre seu dever e suas crenças.

David também tem que lidar com seus demônios pessoais: seu Transtorno de Estresse Pós-Traumático e a relação tensa com sua esposa.

A série estreou em agosto de 2018 e, por enquanto, tem apenas uma temporada. Agora é torcer que seja renovada!

 

O Assassinato de Gianni Versace: American Crime Story

A segunda temporada de American Crime Story faz jus à reputação maravilhosa da série antológica de Ryan Murphy. Para quem viu a 1a season The People vs. O.J Simpson, sabe que é uma obra-prima cinematográfica.

O segundo ano já é sobre a morte de Gianni Versace e começa com um estrondo que se desenrola lentamente, contando a história de trás para frente através de um intrincado (e ocasionalmente complicado) mistério do assassinato ancorado por uma performance que define a carreira de Darren Criss.

Édgar Ramirez vive Gianni, Penélope Cruz sua irmã Donatella, Ricky Martin como Antonio D’Amico e a figura polêmica do assassino Andrew Cunanam é vivida por Darren. Narram os outros quatro crimes cometidos pelo serial killer, passando por seu vício em drogas, seus relacionamentos com homens mais velhos, até chegar em sua infância.

Mostra, de forma um pouco mais sucinta, como homofobia e a incompetência policial também são um dos responsáveis pelos crimes de Andrew. É importante para reflexão de como a sociedade trata a homofobia e a dor que este preconceito causa em vidas alheias.

E, óbvio, é um show de atuações. Darren se distanciou ainda mais de Glee após esta série. Ele está demais, gente!

Os figurinos também são maravilhosos! A equipe conseguiu resgatar o estilo dos anos 1990, recriando o universo luxuoso do estilista, enquanto sequências sem diálogos destacam a fotografia impecável.

 

(Des)encanto

Para quem é fã de Simpsons, com certeza vai gostar dessa nova animação da Netflix.

Criada por Matt Goening, (Des)encanto é uma comédia/fantasia que foca na história de Bean, uma princesa alcoólatra, seu amigo Elfo e seu demônio, Luci. Todos vivem em um reino medieval conhecido como DreamLand (Terra dos Sonhos) e passam por muitas aventuras. É engraçada, leve, e boa para assistir num dia que você só quer relaxar.

A série foi lançada em agosto e em outubro já foi renovada pelo canal de streaming <3

 Good Girls

Outra série leve da NBC – que está no catálogo da Netflix.

Good Girls estreou em fevereiro deste ano e já estamos morrendo de saudades! Felizmente, foi renovada para seu segundo ano.

Criada pela norte-americana Jenna Bans, a série conta a história de três amigas (Beth, Annie e Ruby) frustradas e cheias de dívidas financeiras que se unem para realizar um roubo a um supermercado onde Annie trabalha.

O assalto deveria render 10 mil dólares para cada uma e sanar seus problemas. Só que uma gangue controla o local e não fica nada feliz com o saque, além de um gerente assediador (e bem nojento, diga-se de passagem) que descobre a verdade por trás do roubo e gera muita confusão à elas.

Com personagens carismáticas e uma boa crítica em relação ao machismo na sociedade, os 10 episódios do primeiro ano de Good Girls trazem piadas hilárias e uma humanização das protagonistas.

Christina Hendricks interpreta Beth, mãe de quatro filhos que decide se separar do marido após descobrir que está sendo traída. Mae Whitman dá vida a Annie, irmã mais nova de Beth. Além de ser caixa de supermercado que trabalha muito e recebe pouco, é mãe de uma menina de 11 anos que sofre bullying na escola. Já Retta interpreta a garçonete Ruby, mãe de duas crianças que luta com seu emprego para pagar o tratamento da doença de sua filha, orçado 10 dez mil dólares mensais.

 

 Narcos: México

Para quem gostou de Narcos, vai amar Narcos: México!

Com Michael Peña e Diego Luna, a série foca na ascensão do Cartel de Guadalajara durante a década de 1980, quando Félix Gallardo (Diego) assume o comando e promove a unificação do tráfico para construir um império no país. Enquanto isso, o agente da DEA, Kiki Camarena (Michael Peña), começa a investigar e faz de tudo para capturar os traficantes.

A série já foi renovada para uma segunda temporada, então podem assistir com o coração tranquilo!

 

Jack Ryan

A história do Jack Ryan já recebeu diversos reboots! Alec Baldwin, Harrison Ford, Ben Affleck e Chris Pine já assumirem o papel do agente da CIA criado pelo escritor Tom Clancy.

Mas agora com a Amazon Prime Video, é a primeira vez que vemos a história sendo adaptada no formato de seriado. Estrela por John Krasinski, a série começa com Ryan sendo apenas um funcionário da CIA, que fica boa parte do seu tempo atrás do computador. Contudo, ele descobre vários depósitos suspeitos e um possível terrorista sírio, chamado Ali Suleiman. Daí que a coisa fica tensa, cheia de dramas pessoais e políticos e envolvendo muita espionagem!

Jack Ryan já foi renovado para uma segunda temporada; corra lá para assistir!

 

 Os Inocentes

Mais uma da Netflix!

Os Inocentes, lançada em agosto, aposta na fórmula que tem dado certo dentro das produções originais do serviço de streaming, como em The OA e Dark. É um suspense com toques sobrenaturais e intrigantes. Amamos!

A narrativa acompanha June (Sorcha Groundsell), uma jovem inglesa que mora com seu pai e irmão, mas, que no fundo sabe que é diferente das pessoas que a cerca. Apaixonada por Harry (Percelle Ascott), o casal parte para Londres para fugir de suas famílias problemáticas. No caminho acontece um incidente e June descobre que possui a habilidade única de transferir sua consciência à outros corpos. Bem louco, né?

Com apenas oito episódios, a série tem uma pegada da rebeldia inglesa que envolve sexo e drogas (lembra um pouco Skins!) e cativa. Quem gosta de drama, vai amar! E a trilha sonora é ótima, bem folk e indiezinha.

 

 Hilda

Hilda é, sem dúvidas, uma das melhores animações feitas pela Netflix! <3

Lançada em setembro, a série é a coisa mais fofa. É ambientada em um mundo que lembra a Escandinávia do final do século XX, com pessoas e criaturas fantásticas. Hilda, a protagonista, é uma menina de cabelos azuis, que passou toda a sua vida vivendo no meio da floresta com sua mãe Johanna e Twig, sua raposinha.

Mais tarde, eles se mudam para a cidade local de Trolberg, juntamente com um pequeno elfo, Alfur, que Hilda fez amizade no campo. Apesar de Hilda ser cética sobre sua nova vida na cidade e não querer morar nela, logo faz dois novos amigos, Frida e David, e descobre que pode ter várias aventuras lá também.

 

E aí, o que acharam? Quais dessas vocês gostaram? Quais foram lançadas neste ano que vocês amaram e que não estão nesta lista? Contem pra gente :)

Comentários

Topo