Menu Papel POP

James Arthur fala sobre virar trilha de novela e próximo álbum: “Não estarei nesse jogo do pop para sempre”

MAIS SOBRE:

James Arthur está fazendo música desde 2013, quando estreou a carreira após ganhar o X-Factor de 2012. Mas o Brasil está conhecendo muito mais dele agora de uma forma bem brasileira mesmo: sendo trilha de novela com a música “Naked” tocando em “O Tempo Não Para”.

Aproveitando essa deixa e o momento pop dele com a música “You Deserve Better”, conversamos com o músico sobre o próximo álbum, como é ser um porta-voz sobre saúde mental e aquele tweet polêmico sobre se aposentar.

PAPELPOP: “You Deserve Better” é uma das músicas mais dançantes que você já fez! Como essa mudança veio? Você tá planejando mais músicas para a pista de dança?

James Arthur: Acho que é a primeira vez que crio algo para a pista de dança e para as rádios. Quem já me conhece como um músico e um compositor mais alternativo com certeza estranhou isso tudo. Vejo isso como uma evolução, uma direção diferente que quis tomar para surpreender as pessoas. Acho que é esse efeito que quero causar com as músicas novas, mas não irei fugir muito do que as pessoas gostam de mim, que é honestidade em minhas letras, mas estou querendo evoluir musicalmente!

E junto com essa, você lançou “At My Weakest”, que é bem mais gótica! Foi de propósito essa dualidade?

Com o EP, eu quis mostrar uma prévia do que ando preparando. Algo mais diverso e explorando vários gêneros, sem ser muito previsível. Quis dizer que não serei o cara que fará sempre a mesma coisa, mas ainda assim quero evoluir o que já sei. Tipo o gospel, que é algo que as pessoas já conhecem de mim e ainda consigo aprimorar.

O que podemos esperar do seu próximo álbum? Porque tem um time de grandes produtores de música pop contigo! Tipo o Justin Tranter e o Max Martin…

Sim! Tem sido muito interessante trabalhar com alguns dos melhores produtores de hoje, como o Justin Tranter. No começo achamos que ficaria muito pop, mas vimos que saiu algo que ainda é muito fiel ao que faço, tipo os lances de guitarra.

Acho que esse álbum terá um som bem mais elaborado que os outros. Você vai conseguir ouvir bem o que consigo fazer e teremos diversos instrumentos. No último álbum, minha voz tem um efeito meio épico. Nesse, será mais íntima.

E como foi fazer “You Can Cry” com o Marshmello?

Foi ótimo! Sou muito fã do Marshmello e ele se mostrou muito animado para fazermos algo juntos. A música tem um estilo que sempre tive interesse em fazer e me deu orgulho. Gostei porque pude lançar uma parceria que não fosse óbvia.

Eu gosto que você é muito aberto para falar de saúde mental! Você acha importante mais artistas falarem sobre o assunto?

Eu acho muito importante que artistas se pronuncie sobre saúde mental e acho que tem cada vez mais pessoas falando sobre isso. Eu sempre serei um porta-voz sobre saúde mental, é algo que faz parte do meu coração e que já me fez sofrer. Também acho que conforme mais pessoas falem sobre esse assunto, menos difícil ele será de lidar. Menos pessoas irão sofrer e o mundo será um lugar melhor.

O Twitter é a sua rede favorita né? Vi que você publica muito lá e conversa bastante com os fãs.

Eu gosto muito mais de usar o Twitter porque é mais focado no que você está dizendo, enquanto que o Instagram é mais sobre a foto que você publica. No Twitter digo o que estou pensando, coisas aleatórias e às vezes digo algo que até gera um debate. Eu nunca teria isso no Instagram, eu quase nem olho os comentários de lá.

E nossa, o que foi aquele tweet de você dizendo que vai se aposentar depois desse álbum? Vi que depois seus representantes disseram que era brincadeira…

Não foi completamente uma mentira. Tem muita coisa na indústria da música que eu gosto, mas tem partes dela que acabam matando sua criatividade. Quando falei aquilo, eu estava tendo um dia ruim e achei que as pessoas não me levariam a sério. Mas não acho que estarei nesse jogo da música pop para sempre. Estarei enquanto for algo bom para mim. Quando a música pop não foi algo legal para mim, volto para a música alternativa. É algo que me deixa bem. E deixarei a música pop para a nova geração.

Mas você acha que já está chegando perto de alcançar seus objetivos como artista?

Não! Longe disso! Quero ser um nome grande, quero que o mundo todo conheça a minha música e se sinta inspirado. Não acho que muitas pessoas sabem quem eu sou ainda. Essa é a minha meta, quero todo mundo ouvindo minhas músicas.

Você recebe um número suficiente de “Come To Brazil” para decidir vir pra cá? *Risos*

Sim! Recebo muitos “Come to Brazil”! Sempre quis ir, mas agora tenho uma grande razão para ir ao Brasil porque descobri que uma música minha está tocando numa grande novela daí.

Olha só! Além da novela, você conhece mais alguma coisa do Brasil?

Na verdade conheço bastante coisa! Eu sou muito fã de UFC, então vejo muito o Anderson Silva e o Victor Belfort lutando. Muitos dos meus lutadores favoritos são brasileiros. Também conheço jiu-jitsu, capoeira, a cultura de vocês. Também admiro muito o futebol brasileiro e o público parece ser muito animado!

Então é, estou 100% interessado em conhecer o Brasil!

Comentários

Topo