Menu Papel POP

Treta: Anitta rebate críticas de site sobre o desempenho de “Medicina”

MAIS SOBRE:

Ihhh, gente!

Neste domingo (22), o portal G1 publicou uma nota comentando o desempenho do novo single de Anitta, “Medicina”, lançado na última sexta-feira.

Basicamente, a matéria fala que a música só conseguiu um bom desempenho no Brasil e que a cantora só consegue fazer sucesso em outros países quando faz parceria com cantores estrangeiros de sucesso, como é o caso de “Downtown”, feita com J Balvin.

Anitta não curtiu nem um pouco a forma como analisaram sua carreira na notícia e rebateu as críticas através de seu Twitter.

Veja a resposta completa da cantora:

Explicando um pouco sobre carreira e gráficos de crescimento com exemplos práticos. Antes do meu país me conhecer com “show das poderosas” eu tive 5 singles trabalhados. Nestes meu alcance era regional carioca em sua maioria (por ser meu local de origem) respingando um pouco nas suas adjacências. Com “show das poderosas” houve um pico bem parecido com o de “Downtown”, citado na matéria. E logo depois uma pequena queda para o singles seguintes muito comum depois de picos grande como esse (favor analisar qualquer gráfico de crescimento). Depois de mais de um ano a música que conseguiu chegar próximo deste patamar foi “zen”, mesmo assim nada comparado à rapidez meteórica dos resultados o primeiro grande hit. Depois mais uma pequena queda nos singles seguintes após o pico de zen e seguimos estáveis até BANG, feito alguns vários anos depois. Isso tudo para explicar que… assim funciona um projeto de carreira. Sem pressa e desespero de meter os pés pelas mãos de frustrando com coisas naturais como curso normal de um gráfico de crescimento temporal. Depois de bang ouve mais uma pequena queda e estabilidade até chegar Vai Malandra anos depois. Não há como comparar a rapidez de resultados de um mercado trabalhado por 7 anos incessantes com a de um mercado que começou a ser explorado há apenas 1 ano. Obrigada.

Depois, ela ainda acrescentou:

 

Comentários

Topo