Menu Papel POP

Este fã gastou mais de um milhão de reais em produtos das Spice Girls!

Todo mundo em alguma fase da vida já quis colecionar algo, isso é fato. Como no auge dos anos 1990 uas Spice Girls foram consolidadamente uma das maiores febres do fim do século, uma quantidade incontável de empresas uniu útil a agradável e fez com que produtos relacionados às garotas se tornassem itens de utilidade pública na prateleira de qualquer fã.

Pois essa paixão bateu tão forte em algumas pessoas que fez com que o britânico Alan Smith-Allison reunisse uma coleção faraônica do grupo! Quando nós usamos a palavra faraônica, é com propriedade, viu? Não dá para guardar tudo em um quarto só, como vira e mexe aparece por aí.

Na semana em que a “Spice Up London – An Exhibition About The Spice Girl”, considerada a maior exposição sobre as Spice Girls no planeta, abre suas portas em Londres, um fato chama a atenção: a maior parte dos itens expostos pertence ao rapaz!

Na maioria dos stands estão materiais muito raros. Entre os mais excêntricos, dá pra conferir de pertinho peças icônicas de figurino, imagens inéditas feitas em polaroid, bonecas e, pasme, até o Spice Bus, aquele ônibus emblemático, bem ao estilo britânico, em que as Spice viajavam no longa “Spice World”, de 1997.

Quem nunca teve vontade de viajar nele com elas?

Além deste bus maravilhoso, entre os itens mais difíceis de terem sido adquiridos para a coleção estão uma réplica do set do video de “Viva Forever”, que custou cerca de três mil e quinhentos golpinhos, alguns figurinos de videoclipes, e álbuns em edições especiais, raros, cada um por cerca de quinhentas libras (!).

Pra reunir todo esse verdadeiro registro histórico, Allison desembolsou aproximadamente duzentas mil libras, algo em torno de UM MILHÃO DE REAIS! Ele conta que a paixão foi imediata, assim que ouviu o single “Wannabe”. A gente te entende, migo!

À época, ele tinha quinze anos e ao relembrar como conheceu a música do grupo, faz questão de dizer como elas assumiram o papel de divisor de águas em sua vida:

“Nos anos 1990, sendo gay, isso foi um pouco desconfortável. Cresci na Escócia em uma cidade muito tranquila do interior e nunca foi muito fácil. Mas essas garotas chegaram e disseram, você sabe, seja quem você quiser ser, não importa! Se você é um pouco diferente, um pouco, abrace isso e vá. Isso foi o que as Spice Girls provocaram em mim”

A exposição fica em Londres até meados de agosto. Enquanto esse retorno não acontece, nunca é demais parar para ouvir o hit do milênio:

Comentários

Topo