Menu Papel POP

Show 2 de 2 do Maroon 5 no Rock in Rio: Precisava ser igual?

MAIS SOBRE:

O Maroon 5 encerrou (novamente) a noite deste sábado (16) do Rock in Rio. E o que se viu neste segundo show foi basicamente uma repetição do primeiro.

Para uma descrição mais detalhada do show, pode ler o texto da apresentação anterior, já que elas foram muito similares. Apenas duas diferenças na setlist, a inclusão da faixa “What Lovers Do” e a substituição da homenagem “Garota de Ipanema” por “Lost Stars”.

Sim, foi praticamente o mesmo show. Pode parecer estranho, já que eles estão em um festival, com vários outros artistas, e havia pessoas do público que vieram ontem e hoje. Ao contrário de turnês normais, em que eles também se apresentam por dias seguidos na mesma cidade, no Rock in Rio tudo está sendo transmitido pela TV e internet. Ou seja, a apresentação deles já foi vista pela grande maioria. Precisava então repetir?

A verdade é que o Maroon 5 não tinha a mínima necessidade de fazer mudanças, já que neste sábado eles estavam em sua zona de conforto máxima. Este foi o primeiro dia a ter os ingressos esgotados, o que mostrava que o número de fãs deles no festival era enorme, e isso estava visível logo nos primeiros acordes do show, com a explosão de vozes comemorando e braços levantados (uma cena que se repetiu ao longo da noite).

Hoje eles eram a grande estrela, não apenas substitutos de última hora. Todo mundo estava ali porque realmente queria vê-los. Todos estavam prontos para entoar os maiores sucessos da banda. Era um show preparado para agradar seus fãs, e foi. Foi justamente o que a plateia do festiva estava esperando.

Com um público lotado de admiradores, eles ainda puderam incluir o seu mais novo single, “What Lovers Do”. Afinal, tem que divulgar né?

O primeiro show, de sexta-feira, era o que precisava de novidades, para tentar agradar ao máximo um público que originalmente não iria vê-los. A novidade encontrada foi a homenagem com “Garota de Ipanema”, muito bem recebida por quem estava lá, ainda mais que Adam Levine se dispôs a cantar em português.

Neste segundo show, o efeito surpresa da música brasileira já tinha se perdido, então o grupo preferiu ficar em sua zona de conforto, e foram de “Lost Stars”, a música que um telão de uma das marcas patrocinadoras indicava ser a escolhida pelo público em uma votação. Mas até que o estilo da apresentação das duas foi bem similar, só faltou o banquinho.

Ah e no finzinho, na hora de “Sugar”, Adam Levine tirou a camiseta, algo que ele costuma fazer em seus shows. No primeiro show ele ficou devendo isso, mas hoje com os seus fãs ali, ele não perdeu a oportunidade.

Ficou parecendo um repeteco? Sim, ficou. Mas ninguém no festival estava reclamando, afinal o objetivo da banda era agradar seus fãs, e isso eles conseguiram, como era possível ver pelo Rock in Rio lotado acompanhando todas as músicas.

Comentários

Topo