Menu Papel POP
Lizzo durante entrevista em sua casa (Foto: Reprodução)

Lizzo revela desejo de redefinir o movimento “body positive”: “Quero normalizar meu corpo”

MAIS SOBRE:

Lizzo virou uma das referências na mídia mainstream quando o assunto é o movimento body positive (ou positividade corporal), autoestima a aceitação. A artista já citou o tema em entrevistas e também nas letras das próprias canções. Contudo, apesar de ser uma voz ativa à causa, a vencedora de três prêmios Grammy acredita que essa mobilização se tornou comercial e foi “tomada” por quem não precisa.

À Vogue, a dona dos vocais de “Truth Hurts” disse:

“Agora, você vê a hashtag ‘body positive’ e vê meninas menores e com algumas curvas. Muitas garotas brancas. E eu não estou nem aí pra isso, porque a inclusão é o tema da minha mensagem. Estou feliz que esta conversa esteja sendo incluída no mainstream. O que eu não gosto é que pessoas para as quais este termo foi criado não estão se beneficiando dele. Meninas com costas gordas, meninas com barrigas que balançam, com coxas que não são separadas, com estrias. Elas deveriam se beneficiar do efeito dominante da positividade corporal.”

Lizzo crê que seria “preguiçoso” da parte dela se dizer positiva com o corpo, no momento. Ela quer que o corpo gordo seja apenas normalizado.

“É fácil. Eu gostaria de ser normativa. Quero normalizar meu corpo. E não é só dizer: ‘Olha, que movimento legal, ser gorda é ser positiva’. Não, ser gorda é normal.”

O movimento body positive ganhou forças nas redes sociais nos últimos anos. O objetivo do movimento é celebrar todos os tipos de corpos, promover a aceitação e inclusão, livrando-se dos padrões de beleza. Entretanto, há pessoas que preferem o “body neutrality”, no qual apenas se vê o corpo como neutro e não se preocupa como ele aparenta. Este fica no meio termo; nem no “amar” ou só “odiar” a aparência.

Comentários

Topo