Menu Papel POP

“A música me faz mais confiante”, diz Zoe Wees ao Papelpop em papo sobre single de estreia

MAIS SOBRE:

Já conhece a Zoe Wees? Com vocais marcantes, essa artista de apenas 18 anos lançou o primeiro single da carreira em março deste ano. Intitulada “Control”, a música fala sobre as dificuldades que a jovem enfrentou ao crescer com medo de perder o controle do corpo devido às convulsões provocadas pela epilepsia.

Ouça aqui:

Para a cantora, a música sempre foi uma terapia. Desde a infância em uma área pobre no subúrbio de Hamburgo, na Alemanha. Ela teve o talento notado por uma professora de música – que ajudou no desenvolvimento artístico de Zoe ainda na escola. Depois disso, vieram os covers divulgados na internet e Zoe Wees já começou a trabalhar dentro do estúdio com vários produtores. 

Após o lançamento do primeiro single, intitulado “Control”, a artista concedeu uma entrevista ao Papelpop para falar sobre a nova música, as principais inspirações dela, os planos futuros e até comentou a experiência de ter feito um show em estilo drive-in. 

Vem conferir o nosso bate-papo!

Papelpop: “Control” é sobre um assunto bem pessoal, né? Você não sentiu medo de se jogar dessa forma no single de estreia?

Zoe Wees: Não… Na verdade, todas as músicas que eu já escrevi são sobre coisas que vivi e superei. Quero continuar fazendo isso no futuro. Música é minha terapia para superar e aceitar as coisas. É por isso que escrevo sobre coisas reais que aconteceram na minha vida.

O jeito que você canta parece muito que está tocando em feridas. Me lembrou bastante as músicas do Lewis Capaldi. Ele é uma referência para você? É verdade que você já se encontrou com ele nos bastidores de um show?

Eu não tenho muito uma inspiração porque quero que as minhas músicas sejam 100% eu. Mas, sim, eu conheci o Lewis Capaldi em um show que ele fez em Hamburgo [na Alemanha]. Ele me colocou na lista de convidados e tive a honra de conhecê-lo nos bastidores do show. A gente conversou um pouco e ele ouviu “Control”. Lewis Capaldi foi uma das primeiras pessoas que escutou a música e a reação dele foi tipo: “Que música insana! Me avise quando for lançada”. Ele é bem divertido! Adorei conhecê-lo. 

Essa não foi a primeira vez que você esteve na presença de um artista famoso, né? Fiquei sabendo que em 2017 você participou do “The Voice Kids” da Alemanha. O que você aprendeu lá?

O “The Voice Kids” foi muito divertido, mas eu percebi que queria fazer a minha carreira musical sozinha e com o time que trabalho hoje. Estamos trabalhando duro e não estamos fazendo isso só por causa de um programa de competição musical. Só percebi esse desejo depois do “The Voice Kids”. 

Além do Lewis Capaldi, tem mais algum outro artista que te inspira? 

Como eu disse, quero ser 100% eu. Apesar disso, me inspiro na composição do Alec Benjamin. Acho que aquela música dele chamada “Mind Is A Prison” é muito louca e identificável com tudo o que passei. As canções dele me ajudam bastante.  Além do Lewis Capaldi, tem a Jessie J também – ela é incrível!

Vi que você costuma fazer covers da Demi Lovato, Billie Eilish etc. no Tik Tok. Você acha que divulgar covers nas redes sociais te deixou mais confiante para lançar o primeiro single durante a quarentena? A divulgação fica mais restrita à internet nessa situação, né?

Acredito que publicar vídeos com covers de outros artistas com certeza me fez ficar um pouco mais confiante, mas eu fiz isso apenas porque eu gosto e as pessoas também. Aliás, os seguidores sempre escrevem comentários fofos. No fim, acho que a música me faz mais confiante.

Aliás, eu vi um vídeo bem curioso no seu Instagram. Parecia que você estava fazendo um show em estilo drive-in. Pode falar sobre essa experiência?

Sim! Essa foi a primeira vez que fiz algo assim e foi muito louco porque fiz junto com o Michael Schulte. A gente pretendia sair em turnê em março, mas por causa do coronavírus as apresentações foram adiadas. Foi uma boa experiência, mas gostaria de tocar ao vivo com uma multidão de pessoas porque é uma outra sensação, eu acho.

Você tem só 18 anos e sua música já toca em outros países, outros continentes. Acho isso incrível, mas tenho certeza que você quer muito mais. Quais coisas você espera alcançar na carreira?

Meu grande sonho é tocar no maior palco do mundo o quanto antes, tipo talvez daqui um ano. Apenas tocar ao vivo e ter a plateia toda cantando minha música comigo: “I don’t wanna lose control” (cantarolando). Mal posso imaginar! Vai ser incrível! Espero que aconteça o quanto antes…

Talvez seja uma pergunta precoce, mas queria saber se tem mais música vindo aí. O que a gente pode esperar delas? Sobre quais temas são essas canções?

Sim! No verão [do hemisfério norte], vou lançar um novo single. Ele também é sombrio e sobre o meu passado, mas tem uma atmosfera de verão. É uma grande surpresa e eu espero que as pessoas gostem.

 

Já deu para perceber que a Zoe Wees é uma daquelas artistas para ficar de olho, né? Estamos ansiosas para conferir o que mais vem aí!

Comentários

Topo