Menu Papel POP

Lorde critica a violência policial em e-mail enviado aos fãs: “É doentia e não surpreende”

MAIS SOBRE:

Recentemente, Lorde deu um update aos fãs com um e-mail fofo contando sobre a criação do novo álbum e como está a quarentena. Agora, neste domingo (31), ela voltou com mais uma mensagem, mas dessa vez sobre um assunto mais sério. A dona do “Melodrama” comentou a morte de George Floyd.

Floyd foi morto no último dia 25 de maio pelas mãos de um policial. Tal ato gerou comoção internacional devido à opressão sistêmica contra a população negra. Diversos artistas se manifestaram e Halsey chegou a levar tiro de bala de borracha. Lorde, portanto, foi uma das celebridades a se pronunciarem.

Ela escreveu na mensagem que essa brutalidade é “racista, doentia e não surpreende”. Criticou um ativismo “performativo” de celebridades brancas; relatou que está doando dinheiro à causa e disse esperar que um dia o sistema proteja as pessoas racializadas.

Leia aqui a carta virtual traduzida:

“Olá novamente, ela escreveu. “Eu sei o que você está pensando: ‘Duas publicações em duas semanas? Quem é ela?!” Você provavelmente não esperava receber notícias minhas por mais alguns meses, mas não posso pedir sua atenção uma semana e me silenciar sobre algo assim na próxima. Então aqui vai.

 

Ando acompanhando da Nova Zelândia os eventos desta semana nos Estados Unidos. Também participei do protesto pacífico em Auckland hoje para apoiar o movimento Black Lives Matter (Vidas Negras Importam). Uma das coisas que acho mais frustrante nas mídias sociais é o ativismo performativo, predominantemente por celebridades brancas (como eu).

 

É difícil encontrar um equilíbrio entre se exibir na mídia social de forma que serve a si próprio e ação verdadeira. Mas parte de ser um aliado é saber quando falar e quando ouvir, e eu sei que o silêncio branco no momento é mais prejudicial do que a selfie de alguém no protesto.

Então, deixe-me esclarecer: essa constante brutalidade sistêmica feita pela polícia é racista, é doentia e não surpreende”.

Continuou:

“Ainda estou aprendendo as nuances disso tudo. Ainda estou vendo como praticar ativismo longe das mídias sociais (…) Dinheiro ajuda de forma concreta, para pagar coisas como fianças, então eu faço isso. Não me sinto completamente confortável para mandar links pedindo doação, não sei a situação financeira de vocês. É minha responsabilidade pra usar meus recursos – recursos que vocês me deram direta ou indiretamente – para eu doar em nome de todos.

Para meus ouvintes pretos e pardos – lamento muito que essa seja a sua realidade, que você não teve uma escolha a não ser ser definida por isso, para dar sua energia a essa causa.

“Estou ciente desse imposto sobre você. Espero que as pessoas brancas que você conhece estejam fazendo o que podem para aliviar sua carga. E eu realmente espero que os sistemas mudem para melhor protegê-lo. Black Lives Matter.”

Para ajudar a libertar os manifestantes que foram detidos durante a onda de protestos, os artistas também estão fazendo doações para o Minnesota Freedom Fund. A organização fornece fundos para as pessoas que foram presas durante as manifestações e precisam pagar fiança. Entre os que já doaram, estão Janelle Monáe, Harry Styles, Steve Carrell e Kehlani.

Comentários

Topo