Menu Papel POP

Beyoncé escreve carta aberta pedindo justiça ao caso de Breonna Taylor

MAIS SOBRE:

Breonna Taylor foi uma mulher negra que faleceu em março de 2020, vítima de violência policial, em Louisville, Kentucky, nos EUA. Policiais invadiram o apartamento da jovem de 26 anos sem mandado do juiz e a balearam oito vezes. Sua morte, juntamente com a de George Floyd, causou furor no país e no mundo em prol dos direitos da comunidade negra.

Em meio a diversas manifestações que ocorrem, muitos artistas se posicionaram. Beyoncé  foi uma delas. A cantora havia publicado um vídeo falando do assassinato de Floyd no dia 29 de maio e o homenageou no próprio site – como também fizera com Taylor. Agora, neste domingo (14), a artista publicou uma carta aberta pedindo para que os policiais responsáveis pela morte de Breonna sejam punidos.

As palavras de Beyoncé foram direcionadas a Daniel Cameron, procurador-geral do Kentucky, pedindo-lhe que tome medidas:

“Três meses se passaram – e as investigações do LMPD criaram mais perguntas do que respostas. Três meses se passaram – e zero prisões foram feitas, e nenhum oficial foi demitido.

Três meses se passaram – e a família de Breonna Taylor ainda espera por justiça. A família de Taylor não conseguiu levar tempo para processar e lamentar. Em vez disso, eles têm trabalhado incansavelmente para reunir o apoio de amigos, sua comunidade e o país para obter justiça a ela. Seu escritório tem o poder e a responsabilidade de trazer justiça a Breonna Taylor e demonstrar o valor da vida de uma mulher negra”

Em seguida, Bey delineou que os policiais envolvidos, Jonathan Mattingly, Myles Cosgrove e Brett Hankison, precisam ser acusados pelo crime que cometeram. Pediu transparência na investigação e a investigação da própria polícia de Louisville.

“Não deixe esse caso cair no padrão de nenhuma ação após a terrível tragédia”, acrescentou. “A cada morte de um negro nas mãos da polícia, há duas tragédias reais: a própria morte e a inação e os atrasos que a seguem. Esta é sua chance de acabar com esse padrão. Tome uma ação rápida e decisiva ao cobrar oficiais. Os próximos meses não podem parecer os últimos três”, terminou.

Leia a carta original aqui.

Comentários

Topo