Menu Papel POP

Disney estima impacto de US$ 1 bilhão com fechamento dos parques por conta da Covid-19

Todos os parques da Disney ao redor do mundo estão fechados por conta da pandemia de Covid-19. Sendo grandes centros de aglomerações, esses espaços entraram na lista de locais considerados “de risco” durante a quarentena.

Com isso a Disney, é claro, tem sentido um grande impacto em seus ganhos. Na tarde desta terça-feira (5) a empresa mostrou uma prévia sobre até que ponto o coronavírus prejudicou o império de atrações temáticas.

O lucro por ação da empresa caiu 63% no primeiro trimestre de 2020, abaixo do que Wall Street esperava. Contudo, a receita trimestral cresceu 21%, para US$ 18 bilhões. A companhia estima que o impacto de Covod-19 no segmento de Parques, Experiências e Produtos, atingido com força pelo desligamento global, chega a aproximadamente US$ 1 bilhão devido à perda de receita.

Bob Chapek, CEO da companhia, falou um pouco sobre o impacto mas se mostrou positivo quanto a recuperação e ao lançamento do Disney+ (via THR):

“Embora a pandemia de COVID-19 tenha tido um impacto financeiro considerável em vários de nossos negócios, estamos confiantes em nossa capacidade de suportar essa interrupção e emergir dela em uma posição forte. A Disney mostrou repetidamente que é excepcionalmente resistente, reforçada pela qualidade de nossas histórias e pela forte afinidade que os consumidores têm por nossas marcas, o que é evidente na resposta extraordinária ao Disney + desde o seu lançamento, em novembro do ano passado.”

Ainda sobre o Disney+, o serviço de streaming já ultrapassou a impressionante marca de 50 milhões de assinantes no início de abril, com seu lançamento sendo feito em fases ao redor do mundo.

Também nesta terça-feira (5) foi anunciado no Twitter que a Disneyland Shangai, um dos principais parques da empresa, reabrirá no próximo dia 11 de maio. Em nota, os responsáveis pelo espaço afirmaram que tomarão todas as medidas restritivas sugeridas pelas autoridades e que haverá um controle de capacidade rigoroso, limitando o número de visitantes.

Na Ásia, após meses lutando contra o avanço do coronavírus, a vida começa a voltar ao normal.

Comentários

Topo