Menu Papel POP

Para maratonar: cinco séries asiáticas estreladas por mulheres que quebram estigmas

Este post não contém tags.

Está em casa procurando séries para maratonar? É maravilhoso assistir algo para aliviar a cabeça, mas a gente ama quando vemos uma série bem descompromissada e acabamos impactadas pela história, pela personagem ou algum elemento da série.

Estamos vivendo uma onda incrível de popularização das produções asiáticas, principalmente as coreanas depois do fenômeno “Parasita”. Para muitos, foi o primeiro contato com essa indústria, mas há várias produções incríveis do leste do mundo para acompanhar, principalmente séries. Muitas delas estrelando protagonistas mulheres que contam histórias poderosas sobre auto-descobrimento e enfrentamento de vários preconceitos sociais.

Por isso, reunimos cinco dicas ótimas séries asiáticas para assistir! Essa lista, estrelada por mulheres incríveis é feita junto com Intimus, que lançou a hashtag #ChegaDeEstigma, uma ação mega importante e necessária para discutirmos estigmas da menstruação. Saiba mais sobre o projeto no final da matéria ou no site oficial.

Atelier

“Atelier” é uma série japonesa que tem algumas similaridades com “O Diabo Veste Prada” por tratar da crueldade e da frieza do ramo da moda. Porém, o que mais chama a atenção é como o elenco majoritariamente feminino pretende mudar o mercado de lingerie e abraçar todos os tipos de corpos. A protagonista Mayuko sonha em trabalhar com tecidos e consegue emprego numa de alta costura de lingerie, comandada pela dona renomada e com conceitos muito tradicionais de beleza.

Mayuko quer revolucionar o ramo e decide criar seu próprio negócio, indo contra a sua chefe. O que começa como uma rivalidade entre mulheres passa a ser uma série sobre como todas as mulheres, independente do poder, podem sofrer nessa indústria por estigmas opressores. Acompanhamos todas na luta pelo sucesso e pela causa da diversidade.

Disponível na Netflix.

Hello, My Twenties!

“Hello My Twenties” tem duas temporadas e foi uma série muito comentada em sua época por tratar várias questões relacionadas à mulher numa só série. Nela, acompanhamos a vida de cinco garotas da faculdade, que moram juntas na república Belle Époque. No início, nenhuma delas se dão bem por se tratarem de cinco histórias muito diferentes. Mas, no final de contas, todas elas passam por várias dificuldades e encontram no companheirismo a força entre elas.

Cada uma das cinco tem problemas pessoais que precisam ser enfrentados. Entre as discussões estão a autonomia financeira da mulher, relacionamentos tóxicos, inseguranças e auto-estima. Apesar de ser uma série coreana que tem como pretexto ser leve, “Hello, My Twenties!” não tem medo de expressar seu lado feminista na hora de falar sério sobre temas que até então podem ser considerados estigmas no gênero.

Disponível na Netflix.

Strong Woman Do Bong Soon

“Strong Woman Do Bong Soon” parece ser uma série coreana muito absurda: Do Bong Soon tem uma superforça, poder que é uma grande herança de família. Ela é extremamente forte, mas decide esconder seus poderes por achar que eles podem espantar pessoas por não ser algo tão feminino.

Com o passar do tempo, Do Bong Soon passa a perceber que a superforça não faz dela “menos mulher”, muito pelo contrário, passa a enxergar como qualidade e começa a ajudar todos a sua volta. A protagonista se apaixona e passa por alguns romances, mas o principal de “Strong Woman Do Bong Soon” continua sendo cada passo dela em busca de sua auto-confiança.

Disponível no Viki.

Romance is a Bonus Book

Apesar da série ter como protagonista o escritor renomado Cha Eun-ho, a história é muito mais sobre Kang Dan-i. Ex-redatora de muito sucesso em sua época, ela largou a carreira para se dedicar à vida de esposa e mãe, porém é pega de surpresa por um divórcio. Kang Dan-i busca desesperadamente retomar sua carreira e sua independência financeira, porém, num mercado que constantemente fecha as portas para mulheres mais adultas.

Ela corre para recuperar o tempo perdido, recorre aos diversos tipos de trabalho, estuda muito para reingressar ao mercado. É uma série que retrata muitos estigmas sobre mulheres em ramos profissionais, enquanto apresenta uma personagem destemida a passar por cima desses obstáculos.

Disponível na Netflix.

Fight My Away

“Fight For My Away” conta a história de dois personagens em busca de realizar seus sonhos, incluindo Choi Ae Ra, uma garota que tem como sonho ser locutora de um jornal, mas acaba sendo atendente de uma loja de departamento. Apesar das dificuldades, Choi Ae Ra se mantém firme para alcançar a profissão dos sonhos e tem uma personalidade forte e destemida para fazer o que for possível!

Apesar da sociedade constantemente querer colocá-la numa caixa, a protagonista não abre mão de sua visão, suas opiniões, seus estilos e suas escolhas. Ela é autêntica e, já que o mercado dos sonhos não tem espaço para ela, a própria ira abrir esse espaço. É um exemplo poderoso para espectadoras que tem seus ideais, mas estão cercadas de situações e pessoas que, por vezes, nos jogam pra baixo.

Disponível no Viki.

Igual aos esteriótipos e obstáculos sociais que as protagonistas acima tiveram que superar, também há muitos estigmas que precisam ser questionados fora da ficção! Por exemplo, “Você tá muito irritada hoje, deve estar menstruada” ou “Chorando por isso? Só pode estar naqueles dias” são frases que você muito provavelmente já deve ter ouvido quando se trata dos clichês impostos às mulheres em época de menstruação.

É provando que menstruação não diminui o poder e a capacidade de ninguém que a Intimus acaba de lançar uma campanha incrível batizada como #ChegadeEstigma! O objetivo é estimular o diálogo aberto sobre a menstruação entre todos a fim de questionar os estereótipos. É para apoiar, encorajar, dar suporte e fortalecer. Como isso está sendo feito? Por meio de ações nas redes sociais, cada uma poderá compartilhar com amigos e familiares informação e conteúdo sobre o ciclo menstrual e sobre como questionar os vários estigmas relacionados a menstruação. Juntos podemos questionar os estigmas e ser parte da mudança. O conteúdo está disponível no site oficial da marca, onde você encontra mais informações sobre o movimento e pode também ajudar as iniciativas sociais apoiadas pela marca.

São várias alternativas já disponíveis no site ! Há cartazes, GIFs e figurinhas prontos para serem compartilhados, bem como a própria hashtag # ChegadeEstigma que mulheres podem usar para contar suas experiências e reforçar uma rede de apoio que tem como objetivo informar e tornar a sociedade mais consciente. O que você está esperando para fazer parte do movimento?

Comentários

Topo