Menu Papel POP

Elke Maravilha ganha audiolivro biográfico por Chico Felitti, autor de “Ricardo e Vânia”

Uma das maiores figuras do entretenimento brasileiro, Elke Maravilha deixou saudade. Ela partiu no dia 16 de agosto de 2016, mesma data em que Madonna completou 58 anos de idade. Mesma data em que em Elvis Presley e Aretha Franklin também se foram, em décadas diferentes.

Famosa ainda nos anos 1970 por suas aparições escandalosas na TV brasileira, Elke Grunupp (que também era Melissa Vassiliki e Elke Evremidis) foi também atriz, modelo, cantora e poeta. Foi presa pela ditadura militar e se casou 8 vezes. Oito também era o número de idiomas que falava.

Apátrida, saiu fugida com os pais, um casal formado por um russo e uma alemã de cabelos pretos e olhos claros. Da Europa, diante das três opções que possuíam, decidiram seguir rumo ao Brasil. Desfrutou de uma carreira de sucesso, viveu a plenitude da riqueza e da pobreza e teve coragem de dizer em rede nacional de televisão que tinha feito um aborto. Depois dois. Depois três.

Tinha a melhor gargalhada do mundo e o espírito velho dos piscianos, característica que exaltava com o maior orgulho nas entrevistas que dava. Elke Maravilha, essa lenda, merece ter sua história contada – de preferência por quem sabe fazer isso.

O jornalista Chico Felitti, autor de “Ricardo e Vânia” e “A Casa”, ambos lançados pela Todavia, publicou nesta quinta-feira (20) “Mulher Maravilha”, audiolivro lançado na plataforma Storytel. Nela é possível encontrar histórias de todos os gêneros, assuntos e lugares que podem ser ouvidas em qualquer lugar e em várias opções de idiomas.

Na obra, Felitti esquadrinha as origens da artista, os pontos altos e baixos de sua vida, bem como seus últimos dias como uma eremita. Por enquanto, não há informações sobre um lançamento em formato físico (embora a gente queira muito!).

Esta é sem dúvida uma dica imperdível! Pra ouvir o livro na íntegra é preciso ser assinante e você pode fazer isso clicando aqui. Viva, Elke!

Comentários

Topo