Menu Papel POP

Entrevista: Vitão fala sobre relação com a internet e beijo em Anitta: “Nem cai a ficha”

MAIS SOBRE:

Se você está ligado no pop brasileiro nas últimas semanas (ou até nas fofocas sobre os famosos), você provavelmente leu notícias sobre Vitão. O cantor e compositor de 20 anos causou burburinho pelo beijo na cantora Anitta no clipe do single de colaborações dos dois, lançado nesta sexta (04). O paulistano, que lançou seu EP de estreia no primeiro semestre de 2019, já tem hits como “Café” e o featuring com o Projota, “Sei Lá”.

“Já nos conhecemos há mais ou menos um ano”, diz o artista sobre Anitta, e depois revela que a canção já estava pronta quando a cantora entrou no projeto. “É uma parada que nem cai minha ficha. É muito louco estar do lado de uma artista do tamanho dela. É uma honra muito grande. Fico muito feliz de ter ela na música e no clipe”, completa.

“Minhas letras, até pela linguagem que uso, falam direto para as pessoas. Como se eu estivesse contando coisas da minha vida, com essa proximidade”. A música é sobre não ter medo de viver um amor e é exatamente isso que os dois artistas fazem no videoclipe. “A gente teve a ideia de fazer o clipe inspirado nos anos cinquenta. Com a estética, mas com uma liberdade artística, então fizemos umas coisas que não são tão de época. Mas a cara mais vintage deixou um trabalho bem legal.” O vídeo tem uma narrativa que mostra os encontros às secretas de dois cantores também famosos, tendo imagens filmadas em locações nunca utilizadas antes por um trabalho audiovisual, na vila operária inglesa de Paranapiacaba, na cidade de Santo André/SP:

Aliás, os visuais sempre estiveram presentes no trabalho de Vitão, que começou sua carreira postando covers no YouTube. “Acho que, cada vez mais, estar na câmera é confortável. É um treino. Nosso trabalho principal é fazer música, mas a gente acaba tendo que ser ator, empresário… um pouquinho de tudo. Acho que a Anitta também ficou muito à vontade e acabou rolando tudo bem naturalmente. Nosso beijo foi uma coisa combinada há bastante tempo, porque a gente achou que iria acrescentar bastante à música.”

E quando a gente se aprofunda um pouco mais em quando o artista começou a se interessar por música, descobrimos que é uma paixão que teve combustível a partir de outra arte: o teatro. “Comecei a compor com uns 13 anos, quando comecei no teatro. Tive que fazer um solo na peça, mas até então eu não escrevia nem cantava muito. Eu só tocava violão, porque eu tinha vergonha. Mas aí tive que fazer esse solo e não consegui mais parar. Acho que meu domínio de palco e treinamento de voz vêm muito do teatro. Saber cantar em público e impor a voz é essencial.”

Quando o assunto são os pontos negativos da fama e da exposição, Vitão pondera entre os lados bons e ruins sobre a internet e as redes sociais. “A internet tem esse lado mais difícil, por ser um lugar totalmente sem leis. Onde cada um fala o que bem entende, sem medo de ser visto. Acho que isso acaba gerando muitas opiniões negativas que, ao vivo, não falariam aquilo. É algo que afeta qualquer pessoa. Quando terminei meu relacionamento, que foi um término muito tranquilo, por exemplo, tive a estratégia de não ler comentários e mensagens. Não tem como ficar lendo sempre não.”

Vitão se apresenta junto de Projota e Giulia Be neste sábado (05), no Rock In Rio.

Comentários

Topo