Menu Papel POP

Em entrevista, Charli XCX diz que Kylie Jenner “seria uma popstar incrível”

Charli XCX é bastante conhecida por suas parcerias, como por exemplo em “Fancy” com Iggy Azalea, “Flash Pose” com Pabllo Vittar, “1999” com Troye Sivan e assim vai.

Mas ela ainda tem colaborações do sonho: Kylie Jenner (sim, mesmo não sendo cantora!), Grimes, Miley Cyrus, Pierre et Gilles e Heji Shin.

Ela contou isso em entrevista para a revista Dazed, publicada nesta última quinta-feira (19). Sobre a parceria inusitada com Kylie, a artista acredita que a socialite “seria uma popstar incrível”.

“A estética seria tão boa. Imagine um álbum de Kylie Jenner produzido por SOPHIE! As músicas seriam icônicas, haveria bons momentos na discoteca por lá, mas também haveria uma música muito emocionante sobre a filha dela e seria muito sincera e real, como toda balada de piano com a batida da SOPHIE. Se ela quiser fazer a transição para a música, deveria me ligar. Ela provavelmente não vai (risos), mas deveria. Eu sinto que há muitas outras pessoas no mundo dela que ela pode querer ir primeiro, mas ela deve pensar em mim depois de passar pela outra lista maior e querer deixar mais.”

Já pensou? Hahah

Sobre Grimes, ela contou que elas já fizeram uma música juntas, mas elas queriam que fosse algo mais pop, uma vez que a música que fizeram soou mais techno. Ela não sabe se um dia a lançará.

Já Miley e Charli tocaram juntas no BBC Radio 1’s Big Weekend, mas nunca estiveram juntas em estúdio.

Nunca gravamos ou estivemos juntas em um estúdio, nem falamos sobre isso. O dia da performance foi apenas a segunda vez que nos encontramos, o que foi uma loucura. Ela apenas me twittou como: ‘Olá, você quer tocar ‘We Can’t Stop’ juntas?”. Ela não tem meu número, eu não tenho o número dela, então foi literalmente um pedido público. Eu estava tipo, ‘Totalmente!’, O tempo todo enlouquecendo – de um jeito bom. Por sorte, eu estava no Twitter naquela época, porque odiaria parecer estranho se não respondesse”

Continuou:

“Fiquei tão impressionada com ela, ela tem essa aura realmente incrível. Ela é uma rockstar, sabe? Ela é como uma estrela do rock dos anos 70. Era incrível estar por perto, e se apresentar no palco com ela era extremamente natural e livre. A música que eu faço é extremamente diferente do som para o qual ela está gravitando e do seu estilo de performance – como a aparência de seu show no palco, com uma carga de amplificadores antigos e como ela usa um microfone com fio, é muito diferente da direção que adotei nos últimos anos. Mas sinto que tenho esse tipo de energia punk na minha performance. Quando eu era mais jovem, fiquei realmente inspirada por The Vibrators e Iggy Pop e por esse mundo, posso realmente sentir isso dela, essa energia bruta. Adoro isso, porque acho que você não sente isso tanto no pop mainstream. É tudo um pouco controlado, e ela não é controlada. Eu amo essa coisa mais crua. É muito emocionante estar por aqui, porque você realmente não sabe o que vai acontecer.”

Comentários

Topo