Menu Papel POP

Lil Nas X tá poderosíssimo na capa da revista Time!

MAIS SOBRE:

Vamos falar sério? O mundo é de Lil Nas X e nós estamos aqui apenas de favor. Após ter quebrado uma série de barreiras na indústria musical e ter se tornado o detentor de um recorde histórico na parada Hot 100 da Billboard, intocável por 25 anos, o rapper americano atingiu um novo patamar de sua carreira.

Nesta quinta-feira (15) a revista Time, uma das maiores publicações do planeta, revelou ao público sua presença na capa de uma de suas próximas edições, que chega às bancas no dia 26 de agosto. Usando um traje sofisticadíssimo de cowboy, sempre em tons de vermelho, o artista apareceu em um vídeo curtinho batendo os pés conforme vão se desenhando os acordes do hit “Old Town Road”.

Chic demais, né?

View this post on Instagram

When @lilnasx's debut single “Old Town Road” exploded online early this year and began climbing the charts, industry prognosticators anticipated a quick rise and fall. It’s now the longest-running No. 1 song in history, having occupied the top spot on the Billboard Hot 100 for 19 weeks. It’s been streamed more than a billion times on @spotify alone. All of this has made “Old Town Road” the defining sound of the year, a slurry, genre-busting interpolation of two quintessential American musical genres: #country and hip-hop. Yet even from his perch, writes Andrew R. Chow, Lil Nas is still an outlier. There aren’t many black stars in country #music; there aren’t many queer stars in #hiphop. There aren’t many queer black stars in American culture, point-blank. The fact that Lil Nas has risen so far and so fast testifies not only to his skill, but also to the erosion of the systems that for generations kept #artists like him on the sidelines. At a time when debates about categorization and identity are ubiquitous, Lil Nas X represents a more unified vision of the future, one in which a young #queer black man can dominate popular #culture by being unapologetically himself. “Everything lined up for this moment to take me to this place,” he says now. “Not to sound self-centered, but it feels like I’m chosen, in a way, to do this stuff.” Read more at the link in bio. Photograph by @kelianne for TIME; animation by @brobeldesign; “Old Town Road” (p) 2019 Columbia Records, a division of Sony Music Entertainment

A post shared by TIME (@time) on

Como é de praxe, juntamente ao anúncio, a revista divulgou ainda um trecho do artigo publicado em seu recheio. Nas palavras dela, tão logo “Old Town Road”, a “canção do ano”, foi lançada e os prognósticos se mostravam positivos – uma realidade irrestrita, que não se prendeu somente às paradas de sucesso, mas permitiu que seu sucesso se estendesse às plataformas digitais (afinal de contas, só no Spotify a canção foi reproduzida mais de 1 BILHÃO de vezes).

A matéria também chama a atenção para o nicho específico que Nas X pertence: além de ser assumidamente gay, ele também é negro e faz hip hop – o que significaria em outros tempos, uma marginalização de sua arte.

“Numa época em que os debates sobre categorização e identidade são onipresentes, Lil Nas X representa uma visão mais unificada do futuro, na qual um negro jovem e negro pode dominar a cultura pop sendo ele alguém sem arrependimentos ou culpa. ‘Tudo tem estado alinhado neste momento e me leva a este lugar’, diz ele agora. ‘Não soa egocêntrico dizer isso, mas parece que eu sou escolhido, de certa forma, para fazer essas coisas”.

Reizinho mesmo e a gente só tá esperando os refrescos: cadê o nome dele na lista de mais influentes do ano? Uma notícia dessas a gente comemora até ouvindo “Old Town Road”. Vem com a gente:

Comentários

Topo