Menu Papel POP

Pabllo Vittar participa do Programa da Eliana no SBT e se emociona ao falar de sua infância: “É um choro de alegria”

MAIS SOBRE:

Pabllo Vittar participa do Programa da Eliana, no SBT, neste domingo (02) e foi surpreendida com o quadro “Histórias de Vida”, em que a apresentadora conta mais sobre a vida do participante.

Dessa vez, a produção do programa foi até Santa Isabel, no interior do Pará, para ver a casa e os arredores em que Pabllo passou a infância. A dona de Não Para Não se emocionou, derramando muitas lágrimas, ao lembrar de sua infância com suas duas irmãs.

“É um choro de alegria. Eu passei a minha infância ali. É lá no Pará. Eu tive a infância mais incrível da vida. Eu corri nessas ruas com as minhas irmãs, a gente era bem feliz. Eu e minhas duas irmãs e minha mãe, Verônica, morávamos nessa casa”

Pabllo contou de sua relação com sua mãe, dizendo que ela sempre o apoiou, que sempre fala com ela sobre sua rotina e até disse que ela tem grupos nas redes sociais com vários fãs.

“Minha mãe me manda mensagem todo dia, querendo saber do hotel, dos shows, tudo mais. Ela tem proximidade com meus fãs. Ela tem grupos no WhatsApp com eles. Ela é a maior Vittalover’s do mundo”

A produção do programa foi até uma escola em a cantora estudou por muito anos. Professora Elizete contou que Pabllo sempre foi extrovertido e que levava alegria. A cantora aproveitou para agradecer ao apoio que recebeu em suas escolas, de sua família e chorou ao falar sobre o tema.

Eu passei por muito [pausa para chorar, voz engasgada]. A gente passa por muitas escolas e tem professores e escolas que olham para alunos LGBTQs com desdêm. Comigo foi diferente. [pausa para chorar] Eu só tive pessoas incríveis ao meu lado, como ela. Eu agradeço a meus professores, minha família, meus vizinhos por sempre acreditarem nos meus sonhos. Obrigado.

Junior, amigo de infância, e Michel, o professor de dança e ballet de Pabllo, também foram entrevistados no quadro e contaram diversas histórias incríveis da cantora. Junior, vizinho de porta, contou das peripécias que os dois faziam.

“Quando ele estava de castigo, eu entrava numa brecha da porta e a gente passava o dia todo brincando. Quando ela chegava de surpresa, eu corria muito e sempre sai. Eu te desejo toda a felicidade do mundo. Eu te mando um beijo e um abraço super forte.”

Eliana comentou que Pabllo já tocou no Rock In Rio e em diversos outros lugares e, mesmo assim, Pabllo não esqueceu de suas origens. Esse foi mais um momento de emoção para Pabllo e a dona de Buzina contou que é necessário jamais esquecer de onde a gente veio.

Não tem como esquecer minhas origens porque é de onde eu vim, como eu me criei. E eu acho que quando a gente esquece de onde a gente veio, a gente perde nossa essência. Perde tudo.

Pabllo contou sobre a primeira vez que se montou de dragqueen e aproveitou para deixar uma mensagem de apoio à seus fãs.

A primeira vez que me montei de drag foi no meu aniversário de 18 anos, lá em Uberlândia. Eu combinei com minhas amigas que a gente ia se rasgar. Eu não tinha muitos recursos, não tinha peruca, mas eu dei um jeito.

Desde aquele dia, eu percebi que a Pabllo Vittar tinha nascido para trazer alegria e eu consegui fazer o que sempre eu quis assistir. Eu acho isso incrível porque eu recebo diversas mensagens de pessoas que se sentem melhor me vendo. A gente vive só uma vez, não podemos viver mentiras. Vivam! É a melhor coisa.

Phamela e Polyanna, as irmãs da cantora, também vieram contar histórias dela. Phamela, a irmã gêmea de Pabllo, contou que ela a usava de cobaia para descobrir o mundo das maquiagens.

Ela me usava de cobaia. Me maquiava, arrumava meu cabelo. Uma história que me marcou muito foi a primeira vez que vi a Pabllo num palco e sabia que ela estava fazendo o que ela queria, fazendo o que ela nasceu para fazer.

MARAVILHOSA <3

Comentários

Topo