Menu Papel POP

Os 10 momentos mais marcantes da abertura da Paralimpíada 2016

MAIS SOBRE:

No feriado de 7 de setembro rolou a cerimônia de abertura dos Jogos Paralímpicos Rio 2016. Há quem diga (e concordamos) que essa época consegue emocionar ainda mais do que os jogos olímpicos. E a gente conseguiu ver isso já no show de ontem.

Teve o espírito brasileiro representado na música e projeções, momentos imprevistos emocionantes e diversos atos sobre representatividade e acessibilidade. Já que a TV aberta decidiu não mostrar (e saiu perdendo, porque foi lindo!), mostramos aqui o que mais rolou de legal ontem:

Clodoaldo Silva acendendo a Pira Olímpica

O nadador Clodoaldo Silva fez o último trajeto da tocha olímpica à pira e o momento teve uma mensagem ENORME sobre a importância da acessibilidade. Ao chegar perto do final, o atleta cadeirante se deparou com uma escada enorme que o impedia de concluir o momento mais importante de uma cerimônia de abertura.

A escada se estendeu formando uma rampa e ele acendeu a pira, mostrando que é importantíssimo um lugar onde todos conseguem acessar.

A apresentação de Amy Purdy

Na Olimpíada tivemos Gisele desfilando ao som de Garota de Ipanema. Aqui, quem fez jus à música foi Amy Purdy! Ela já é conhecia pelo mundo por ser atleta de snowboard, dançarina, modelo e atriz. Uau!

Amy, que é biamputada, dançou ao lado de um robô industrial. Ela começou com coreografias de balé e acabou no samba! Maravilhosa!

O levantar de Márcia Malsar

Atletista dona de quatro medalhas entre 1984 e 1988, Márcia Malsar foi uma das atletas a completar o trajeto da tocha no Maracanã. Num certo momento, por conta da chuva, a bengala dela escorrega e Márcia cai. Ela desistiu, NÃO!

Márcia levanta e continua o trajeto, sendo aplaudida por todo o estádio. Um dos momentos mais emocionantes e lindos da cerimônia!

Maria Rita e Diogo Nogueira na roda de samba

O primeiro show musical da cerimônia chegou com uma roda de samba poderosa formada por Maria Rita, Diogo Nogueira, Monarco, Hamilton de Holanda, Xande de Pilares, Pastoras da Portela, Pedrinho e Pretinho da Serrinha.

É o mais puro espírito brasileiro logo nos primeiros minutos! Foi contagiante e ficou lindo com as projeções no chão!

A entrada da maior delegação Paralímpica brasileira

A Paralimpíada Rio 2016 é histórica para o Brasil: temos a maior delegação da história, com 285 atletas! Foi emocionante ver uma multidão de gente chegando no Maracanã representando o país com uma animação surreal!

Eles entraram ao som de “O Homem Falou”, do Gonzaguinha!

Olha, nós cobrimos as duas aberturas e podemos falar: eles estavam bem mais animados! Hahaha. Foi lindo demais!

Crianças deficientes levando a bandeira paralímpica

Toda a cerimônia de abertura deu um show de acessibilidade e representatividade. Um momento que tocou a gente no fundo do coração foi ver crianças cadeirantes, com deficiência visual e paralisia cerebral levando a bandeira graças ao projeto “Bota do Mundo”.

O projeto é criado pelo Alexandro Faleiros, que criou uma bota que une a criança incapaz de andar ao pai. Ele fez isso para poder jogar bola com o filho cadeirante, olha que fofo!

A dança de Oscar e Renata

Os bailarinos mineiros, Oscar e Renata, fizeram uma apresentação linda de dança em piso tátil. Os dois são deficientes visual e fizeram uma apresentação linda ao som de Bachianas 4, do Heitor Villa Lobos.

As vaias à Michel Temer

Michel Temer, que assumiu a presidência na semana passada, fugiu do encerramento da Olimpíada mas esteve presente ontem. O resultado foi um Maracanã cheio de vaias quando Temer foi anunciado pelo presidente do Comitê Paralímpico, Sir Philip Craven, e por Carlos Nuzman, presidente da Rio 2016.

Algumas palmas tentaram passar por cima, mas não deu muito certo. O bacana é que, quem assistiu à Abertura, viu que Nuzman fez uma pausa para a livre manifestação do público. Sendo vaias ou aplausos!

Hino nacional por João Carlos Martins

Maestro brasileiro e um dos maiores pianistas do mundo. João Carlos Martins tocou o hino nacional brasileiro e foi lindo, LINDO! Temos tantos talentos incríveis no país que nem precisa esforço para darmos um show, né?

O mosaico de Vik Muniz no desfile das delegações

Ao longo do desfile das delegações, cada país levava uma peça de quebra-cabeça para encaixar no centro do estádio. O que formou foi uma obra do artista Vik Muniz, com o rosto de todos os atletas paralímpicos participantes formando um coração pulsante.

Foi um show incrível, né? Foi ótimo ver estádio lotado, manifestação política e representatividade dominando o Rio!

Comentários

Topo