Menu Papel POP

Winona Ryder fala sobre caso de furto: “não é como se tivesse sido o crime do século”

MAIS SOBRE:

Depois de alguns anos afastada de grandes papéis em Hollywood, a atriz Winona Ryder voltou aos holofotes este ano, mais especificamente no último mês, ao estrelar a nova série bombante da Netflix, “Stranger Things”.

Claro que, com ela, voltam todas as polêmicas e histórias envolvendo o seu nome, como a forte associação dela aos anos 1990 e o caso do furto de uma loja no ano de 2001, que evidenciou para o mundo a sua crise de cleptomania.

Em uma nova entrevista para a revista Porter (via Yahoo!), Winona falou sobre tudo isso, mas sem entrar em muitos detalhes do caso de furto, pelo qual foi condenada em 2002, falando apenas por cima sobre o que aconteceu.

“Psicologicamente, eu devo ter estado num lugar em que eu simplesmente queria parar. Eu não vou entrar no que aconteceu, mas não foi o que as pessoas acharam. E não foi como se tivesse sido o crime do século! Mas isso me permitiu ter um tempo que eu estava precisando, onde eu voltei para São Francisco e voltei a fazer coisas… Eu tinha outros interesses, francamente”.

Como já adiantamos lá em cima, a Winona falou também sobre a associação do seu nome aos anos 1990, o que a irrita um pouco.

“As pessoas me associam aos anos 1990 e eu não era mais aquilo. E elas não me viam como a minha idade real. É como aquela fala de ‘O Clube das Desquitadas’ – ‘há três idades para as mulheres: bebê, advogada e ‘Conduzindo Miss Daisy’! Eu nunca pude ser a advogada”.

 

 

Na entrevista, Winona Ryder falou ainda se não sabe se uma potencial continuação para “Os Fantasmas se Divertem (Beetlejuice)”, de 1988, irá mesmo acontecer.

Comentários

Topo