Menu Papel POP

Todo o girl power nesses Jogos Olímpicos Rio 2016!

Tá tendo muito poder feminino no Rio de Janeiro! A participação das mulheres nos Jogos Olimpícos desse ano, realizados no Rio de Janeiro, vem gerando bastante repercussão – primeiro porque com algumas potências mundiais, tipo Estados Unidos e China, a porcentagem de mulheres nas delegações supera o número de homens, e as quantidade de representantes do sexo feminino de vários outros países também é enorme se comparadas com eventos anteriores; segundo porque muitos dos momentos incríveis dessas Olimpíadas foram protagonizados por mulheres!

A gente compilou vários acontecimentos femininos legais para deixar um gostinho de quero mais, já que os Jogos se encerram neste domingo (21), e também para não nos esquecermos no futuro. A representatividade feminina é bastante importante!

1) Rafaela Silva e o primeiro ouro brasileiro no Rio

Não dá para começar esse post sem falar logo no início da Rafaela Silva. A judoca carioca, nascida na comunidade Cidade de Deus, levou o primeiro ouro brasileiro nas Olimpíadas do Rio. Sua história fica ainda mais poderosa quando lembramos das ofensas racistas que Rafaela leu e ouviu quando foi desclassificada em Londres-2012. Ela deu a volta por cima e nos orgulhou muito!

2) “Eu sou a primeira Simone Biles”

Simone Biles dominou praticamente todas as provas de ginástica feminina, e logo após conquistar a medalha de ouro na modalidade individual geral, as comparações começaram: “Ah, ela é o Michael Phelps da ginástica, é o Usain Bolt versão mulher“. Nada disso! A americana respondeu à altura: “Eu sou a primeira Simone Biles“. Cravou! Hahaha!

3) Katie Ledecky dominou geral a natação

A nadadora dos Estados Unidos faturou nada mais do que quatro ouros diferentes nessas Olimpíadas e deixou todo mundo boquiaberto pela velocidade em que completava as provas. Em uma determinada prova, ela foi tão rápida que em certos momentos aparecia sozinha na transmissão da TV! Olha só:

4) Muito amor na final do rugby

Tem LGBT sim e também tem pedido de casamento logo após um jogo! A voluntária Marjorie Enya pediu a mão da namorada Isadora Cerullo, da seleção brasileira de rugby, quando a final entre Austrália e Nova Zelândia havia acabado de ocorrer!

Se você ainda não viu, assista esse momento lindo abaixo:

5) Martine Grael e Kahena Kunze arrasam na vela

A dupla competindo na final de vela na última quinta-feira levou para casa o primeiro ouro feminino brasileiro da modalidade! Que honra, gente!

6) Ágatha e Bárbara vencem favoritas na semi, levam prata na final

A dupla de vôlei de praia Ágatha e Bárbara não conseguiu bater as alemãs na final da modalidade, mas quem vai reclamar de uma medalha de prata, né? A gente acha que o melhor disso tudo é que as duas conseguiram a vaga na decisão porque venceram ninguém menos do que April Ross e Kerry Walsh Jennings – esta última é uma atleta americana que NUNCA havia perdido um jogo em Jogos Olímpicos! Entenderam, gente? A Walsh até então tinha 26 vitórias e nenhuma derrota, isso porque ela compete nas Olimpíadas desde Atenas-2004!

7) Seleção de futebol e vôlei de quadra

Aqui divulgamos e enaltecemos as seleções de futebol e vôlei de quadra – eram tidas como ouro certo pelos brasileiros, infelizmente não conseguiram avançar mas não é por isso que vão ficar de fora dessa lista, né? O futebol feminino merecia demais uma medalha em casa – e temos que continuar incentivando as jogadoras e o esporte aqui no Brasil! – e as meninas do vôlei já são praticamente soberanas na modalidade!

8) Primeira tetracampeã da história dos Jogos

Kaori Icho, atleta japonesa de 32 anos, tornou-se a primeira esportista mulher a conquistar quatro medalhas de ouro em uma prova individual. Que feito! A conquista veio na modalidade luta livre, categoria 58 kg. Além de Kaori, apenas cinco pessoas alcançaram o mesmo feito: Michael Phelps (EUA), Carl Lewis (EUA), Al Oerter (EUA), Ben Ainslie (Reino Unido) e Paul Elvstrom (Dinamarca).

9) A refugiada que nadou por três horas e meia para sobreviver

Uma das histórias mais bonitas dessas Olimpíadas envolve a nadadora Yusra Mardini, uma das dez atletas selecionadas para competir na primeira equipe de refugiados dos Jogos. Com 18 anos, Yusra fugiu da Síria em busca de uma vida melhor – ela estava junto de sua irmã e cerca de 20 refugiados num barco quando este começou a afundar. Ela e a irmã pularam no mar e simplesmente nadaram por três horas e meia empurrando o barco até chegarem na ilha de Lesbos, na Grécia. Yusra não ganhou nenhuma medalha, mas quem se importa quando se tem algo assim para contar? Ela é uma verdadeira heroína!

10) Duas mulheres se ajudando lindamente

Durante a prova eliminatória dos 5.000 metros no atletismo na última terça-feira, a neozelandesa Nikki Hamblin e a americana Abbey D’Agostino acabaram colidindo e caíram. Numa demonstração de puro espírito olímpico, Abbey ajudou Nikki a se levantar e as duas completaram a prova juntas! Nenhuma das duas teria se classificado para a final, mas a organização dos Jogos Olímpicos resolveu incluí-las lá como um prêmio pela atitude! Que lindo!

Comentários

Topo