Menu Papel POP

J.K. Rowling: “Hermione pode ser uma mulher negra com minha absoluta bênção e entusiasmo”

Na semana passada foram divulgadas as primeiras imagens da peça “Harry Potter and the Cursed Child”, que traz Harry, Rony e Hermione aos seus 40 e poucos anos lidando com a vida adulta e com os filhos indo para Hogwarts.

Apesar de ter deixado a maioria dos fãs entusiasmados, as fotos geraram ataques racistas na internet por conta da atriz escolhida para viver Hermione, Noma Dumezweni, ser negra.

Sobre a polêmica, a autora da saga “Harry Potter”, J.K. Rowling, falou com o britânico The Guardian e chamou os críticos à escolha de Noma de “bando de racistas”. A escritora ainda negou que uma passagem dos livros de “Harry Potter”, em que Hermione “fica branca”, tenha a ver com a cor da sua pele, e afirmou que a frase é apenas uma expressão sobre ela ter tomado um susto.

Apesar de não ter escrito a peça, a autora deu toda a sua bênção para o espetáculo, inclusive para a escolha de Noma como Hermione.

“Com a minha experiência nas redes sociais, eu sabia que os idiotas iriam agir de forma idiota. Mas o que você pode falar? É o jeito como o mundo está. Noma foi escolhida porque ela é a melhor atriz para o papel. Eu tive um bando de racistas me dizendo que porque (nos livros) Hermione ‘ficou branca’ – quer dizer, perdeu cor no seu rosto após um susto – que ela tem que ser uma mulher branca, o que eu tenho uma enorme dificuldade para entender. Mas eu decidi não me alterar muito por causa disso e continuar firmemente declarando que Hermione pode ser uma mulher negra com minha absoluta bênção e entusiasmo.”

Além da J.K. Rowling, o The Guardian ouviu também o diretor da peça “Harry Potter and the Cursed Child”, John Tiffany, que deu uma ótima resposta sobre a polêmica.

“O que mais me chocou foi que as pessoas não conseguem ver uma pessoa sem ser branca como a heroína da história. Sendo assim, é brilhante que isso aconteça.”

 

 

“Harry Potter and the Cursed Child” tem sua primeira pré-estreia nesta terça-feira (07) em Londres. No segundo semestre, a peça estreia para o grande público e o seu roteiro chega às livrarias em formato de livro.

 

Comentários

Topo