Menu Papel POP

Em 1993, Michael Jackson disse à Oprah que não gostaria de ser interpretado por um ator branco

Michael Jackson nem está mais vivo, mas ficaria chocado por escolherem um ator branco, Joseph Fiennes, para representá-lo no filme “Elizabeth, Michael & Marlon”, como a gente mostrou aqui esta semana.

Uma entrevista de 1993 foi ressuscitada, onde o cantor está no programa da Oprah e esclarece sua opinião sobre ser interpretador por um ator branco.

A apresentadora Oprah Winfrey  perguntou a Michael se ele tinha escolhido um jovem branco para representá-lo quando criança em um comercial da Pepsi. O cantor ficou meio revoltado com a história e desmentiu o fato.

“Isso é tão estúpido. Essa é a história mais ridícula e horrível que já ouvi. Primeiro, é meu verdadeiro rosto no comercial, eu quando era pequeno. Por que eu ia querer uma criança branca para me interpretar? Eu sou afro-americano. Eu sou muito orgulhoso de ser um afro-americano. Eu tenho orgulho da minha raça e de quem eu sou. Isso seria se como se uma criança oriental te [Oprah] interpretasse em um comercial. Isso faz algum sentido?”

Oprah respondeu que “não”, e Michael completou: “então, por favor, parem de acreditar dessas histórias horríveis”. Veja a reação de Michael na entrevista, no minuto 23m48s:

Quem também ficou espantando com a escolha de Joseph Fiennes para viver Michael foi o próprio ator. Em uma entrevista ao Entertainment Tonight, ele contou que está “tão chocado quanto você”, quando o apresentador perguntou sobre a novidade.

“Ele definitivamente tinha problema de pigmentação. Provavelmente, estava mais próximo da minha cor do que da original dele”, contou Fiennes.

Após divulgarem que um ator branco interpretaria Michael Jackson rolou uma polêmica nas redes sociais, remetendo ao fato do racismo e que nem o Oscar reconheceu os atores negros.

Comentários

Topo