Menu Papel POP

Fãs criam petição para aumentar o salário de Jane Fonda e Lily Tomlin em “Grace and Frankie”

Jane Fonda e Lily Tomlin são as estrelas de “Grace and Frankie”, uma das séries mais legais que estrearam no Netflix este ano e, como protagonistas, é natural que elas recebam os maiores salários entre os membros do elenco, certo? Errado. Pelo menos ao ver dos produtores do programa.

Em uma recente entrevista ao site TV Guide, Jane deixou escapar que ela e Tolim ganham o mesmo salário que Sam Waterston e Martin Sheen, o casal gay coadjuvante da série, e isso revoltou os fãs das duas.

“Tomlin descobriu que eles [Sam e Martin] ganham o mesmo salário que nós. Isso não nos deixou felizes”, disse. “A série não é ‘Sol and Robert’, é ‘Grace and Frankie'”, completou Tomlin.

Revoltados com a revelação, os fãs do programa decidiram criar uma petição online reivindicando que as duas comecem a ganhar, merecidamente, mais dinheiro para atuar na nova temporada.

“Em 1980, Lily Tomlin e Jane Fonda protagonizaram o filme ‘Nine to Five’, uma comédia que mostrava o sexismo no ambiente de trabalho sob um novo ângulo. Agora, ironicamente, as duas revelaram à imprensa que, apesar de sua nova série da Netflix ‘Grace and Frankie’ ser centrada em suas personagens, elas recebem o mesmo salário que os atores coadjuvantes.Isso mostra que a disparidade de gênero está em todos os lugares. Mudanças estão sendo feitas em Hollywood. Quando Charlize Theron descobriu que estava recebendo menos que seu companheiro de cena em Branca de Neve e o Caçador, ela exigiu que a diferença fosse reparada, e ganhou”, diz o texto postado na página da petição.

Tentando colocar panos quentes na história, as duas divulgaram um comunicado dizendo que suas declarações foram tiradas de contexto e que estão felizes com o salário que ganham:

“Agradecemos o apoio de todos e a atenção com essa questão, mas a estrutura da série é justa e estamos felizes em trabalhar com a Netflix, Skydance e todo o elenco.”

Até o momento, a petição feita pelos fãs conta com pouco mais de 23 mil assinaturas.

Comentários

Topo