Menu Papel POP

10 motivos para não perder o musical “Mudança de Hábito”, em cartaz em SP

MAIS SOBRE:

Na quinta-feira (5), fui ao teatro conferir “Mudança de Hábito”, a adaptação do musical da Broadway que está em cartaz em São Paulo. A história é praticamente a mesma do filme.

A aspirante a diva Deloris, interpretada no longa por Whoopi Goldberg, presencia um crime e precisa se esconder para não ser morta e acaba indo parar num convento. No Brasil, a grande estrela da peça é Karin Hils, a Karin do Rouge.

Mas não vá esperando por uma cópia fiel do filme que você cansou de ver na Sessão da Tarde. O musical se passa na Filadélfia dos anos 70 (no filme, ela foge de Reno, em Nevada, para São Francisco e a história acontece na década de 90) e as músicas famosas do filme não estão na peça por questões de direitos autorais, masssssss… Não fazem falta alguma porque as canções do musical são extraordinárias e muito alegres. Na adaptação brasileira, por exemplo, eles mudaram algumas coisas para que o público se sinta mais em casa.

Abaixo, 10 motivos para colocar seu hábito e correr para o teatro e não perder essa adaptação:

mudança de habito

10. Os cenários
Bares, ruas, uma delegacia, boate, a igreja e, claro, o convento. Tudo isso surge e desaparece do palco em um piscar de olhos. É sério, gente. Tem momentos que você nem se dá conta que o cenário tá mudando.

9. Vânia Pajares, a regente
Uma banda de um teatro musical precisa de uma regente maravilhosa, certo? A Vânia Pajares nem faz parte da história, mas rouba a cena em alguns momentos, tamanha a empolgação com que conduz a peça.

8. A Irmã Maria Roberta
Ana Luiza Ferreira interpreta a Irmã Maria Roberta, que é cheia de dúvidas sobre o caminho que quer seguir. Tem um momento, entre ela e a protagonista, que é sensacional. Sabe aquele personagem que cresce aos poucos durante a história? É um daqueles casos “uau” quando ela decide soltar a voz…

7. A ala masculina da peça
Em uma peça que é dominada por mulheres, os homens precisam fazer de tudo para prenderem a atenção do público. Nada que os atores Cesar Mello (Curtis Jackson), Fred Silveira (Monsenhor), Tiago Barbosa (TJ), Max Grácio (Joey) e Beto Sargentelli (Pablo) não tenham feito com maestria. Os “três patetas”, TJ, Joey e Pablo vão fazer você rir MUITO. O Monsenhor, que cresce minuto a minuto na história, também rende momentos ótimos e o vilão Curtis Jackson dá um show à parte no palco.

6. O coral de freiras
É claro que a gente não ia deixar elas de lado, né? Elas são as grandes estrelas da história e não tem como não se apaixonar por cada uma delas. É sério, todo mundo ali consegue um momento para bilhar. Preste bastante atenção em Daniela Cury (Irmã Maria Lázarus) e Andrezza Massei (Irmã Maria Patrícia). Elas são apenas maravilhosas.

5. Eddie, o policial
Ele é fofo, tem o coração bom e uma paixão secreta por Deloris. O policial vivido pelo talentoso ator Thiago Machado conquista o público logo de cara com seu jeitão atrapalhado.

4. A Madre Superiora
A Madre Superiora é um daqueles casos de amor e ódio, sabe?. Mais de amor, nesse caso. Não tem como olhar para a Adriana Quadros e não se apaixonar. Os momentos musicais dela são emocionantes e os cômicos… Bem… A gente prefere não falar muito para não estragar a surpresa.

3. Karin Hils
Karin Hils. Se você ainda não tem esse nome gravado na sua mente, isso vai mudar depois que você sair do teatro. Ela está sensacional na pele de freira fake Deloris e olha que isso é uma tarefa complicada, visto que a freira original foi interpretada por ninguém menos que Whoopi Goldberg nas telonas. Todo mundo sabe que é uma missão difícil dar vida a uma personagem que ficou imortalizada em um filme ou peça, principalmente quando quem fez isso foi uma atriz icônica como Whoopi. Agora entendemos porque a própria Whoopi se encantou ao ver Karin em cima do palco. Maravilhosa!

2. As músicas
O meu maior medo quanto à adaptação era em relação as músicas, afinal, tudo ia ter que ser colocado em português e, isso nem sempre fica muito legal. Não foi o que aconteceu aqui. As músicas são mega contagiantes e ajudam a contar a história de uma maneira fácil de entender. A direção musical do espetáculo ficou por conta também da Vânia Pajares.

1. A alegria constante
É muito contagiante. Você sai num grau de alegria altíssimo, como se tivesse comido dez barras de chocolate ou saído de um dia alegre na Disney ou feito sexo por 5 horas. Só não precisa compartilhar essa última sensação com as freiras.

“Mudança de Hábito” é uma ótima opção para quem quer se divertir e dar ótimas risadas, se emocionar e, principalmente, valorizar o que o nosso país tem de melhor: o talento das pessoas.

Onde? No Teatro Renault – Av. Brigadeiro Luís Antônio, 411 – Bela Vista, São Paulo – SP
Quando? Quintas e Sextas, às 21h, Sábados, às 17h e 21h, e Domingos, às 16h e 20h.
Mais informações em: T4F

Comentários

Topo