Menu Papel POP

St. Vincent, Betty Who, Moko e Marlene: quatro cantoras que você precisa ouvir pra ontem!

Este post não contém tags.

Nós queremos novidades e queremos agora! E se reclamar vai ter novidade sempre! Sabemos que muitos artistas que adoramos estão para voltar entre o final do ano e o começo de 2015, mas a gente está aqui para comemorar quem está chegando pela primeira vez.

*Calendário de lançamento: saiba quando sai o CD novo de seu artista favorito

Há quatro cantoras poderosíssimas rolando soltas por aí que precisamos fofocar com vocês. Elas vêm de várias partes do mundo e estão entre nós para fazer algo autêntico e novo. São elas a já consagrada St. Vincent e as novatas Betty Who, Moko e Marlene.

St. Vincent

St. Vincent, nome artístico da americana Annie Clark, lança álbuns desde 2007. A questão é: Como nunca ouvimos ela antes?

Os dois últimos álbuns da cantora, “Strange Mercy” (2011) e “St. Vincent” (2014), estabeleceram ela como um nome feminino forte na música alternativa. Nesses dois trabalhos, ela nos apresenta uma sonoridade cheia de experimentalismo, somando em sua base pop e melódica muita guitarra, sintetizador e multi-instrumentalidade, contrastando com a leveza de seu vocal.

Suas letras são geniais! Em “Digital Witness”, que você confere abaixo, ela diz “qual é o sentido de dormir se eu não posso mostrar, se você não pode me ver?”, falando sobre o quanto se compartilha nas redes sociais.

Você provavelmente vai ficar com essa música na cabeça, aliás. Também recomendamos “Cheerleader” e “Cruel”.

Betty Who

Ela é daquelas que já havia lançado vários EPs separadamente e o sucesso fez surgir o álbum com todo o trabalho. Jessica Anne Newham, conhecida como Betty Who, é o novo nome do pop australiano e lançou neste mês o álbum de estréia “Take Me When You Go”.

Já pelo vídeo de “Somebody Loves You” dá para sacar porque essa Betty não é bem uma who. Ela consegue trazer aquele ritmo que nos faz lembrar a Madonna nos anos 80 e fazer funcionar nos tempos atuais com algumas batidas eletrônicas mais populares. Essa mistura é o carro-chefe do álbum.

Ainda neste ano a cantora abriu alguns shows da Katy Perry. As já conhecidas Ellie Goulding, Marina and the Diamonds e Natalia Kills também começaram assim e deu muito certo, viu.

Também recomendo ver o lyric video de All Of You, que queremos tocando nas baladas pra já!

Moko

Diane Nadia Adu-Gyamfi é uma britânica de 23 anos com descendência ganense. O que ela tem de diferente? Um som matador que mescla R&B, soul, dance music e hip-hop. A cantora estreou em 2013 com o primeiro compacto, “Black” e em setembro deste ano lançou seu segundo, “Gold”.

Suas influências são seu início no coral da igreja e o que ouvia nos anos 90. É por isso que na faixa “Your Love”, sentimos uma vibração nostálgica da house music. Mas também não é só com as batidas que a cantora mostra o seu talento. Em “Missing Love”, faixa do seu último EP, ela mostra que também bebeu de uma fonte vinda de nomes como Mary J. Blige e Alicia Keys.

Com um visual fatal e marcante e música delirante, Moko já é a nova aposta no Reino Unido e deve estourar nas rádios a qualquer momento. Vale acompanhar o trabalho dela de muito perto.

Marlene

A Suécia já nos deu ótimas cantoras, como Lykke Li e Icona Pop. Agora está na vez de Marlene.

Ela é uma prova de que uma ótima música pop pode surgir de qualquer lugar do mapa e lançou em maio seu primeiro EP, “Indian Summer”. O compacto com cinco músicas nos apresenta alcances vocais típicos de um bom R&B, batidas contagiantes da dance music e melodias tão mágicas que merecem nosso repeat eterno.

A sueca começou timidamente em 2013, quando lançou o single “Bon Voyage”. A música é tão boa que nem dá para acreditar que é uma estréia.

“Indian Summer” leva o título do álbum e não é ao acaso.

Comentários

Topo