Menu Papel POP

“Perdão, Leonard Peacock”: o que achamos do livro de Matthew Quick, autor de “O Lado Bom da Vida”

MAIS SOBRE:

 

“Perdão, Leonard Peacock” é o mais novo livro de Matthew Quick, lançado agora em setembro pela editora Intrínseca. O lançamento mostra toda a versatilidade do autor, apresentando um lado obscuro e dramático no texto.

Quick ficou mundialmente conhecido após a adaptação para o cinema do seu livro “O Lado Bom da Vida”. O filme concorreu a oito estatuetas, Jennifer Lawrence ganhou o Oscar de Melhor Atriz e se consagrou definitivamente como a nova queridinha de Hollywood. Muito merecidamente ao encarnar uma problemática e irreverente personagem.

O personagem que leva o nome do livro, Leonard Peacock, é um rapaz atormentado pelo passado e com segredos profundos e dolorosos. Ele também é o narrador da história, e logo no começo te conta que vai matar o ex-melhor amigo e se matar logo depois. Pesado, não? Suicídio tem sido um tema recorrente na literatura americana (exemplo disso é o excelente “Os 13 Porquês” de Jay Asher).

Veja o que achamos de “Perdão, Leonard Peacock”…

Mas a maneira como o autor te apresenta a história e os poucos personagens nessa narrativa te convencem a acompanhar Leonard no que pode ser seu último dia de vida. Não podemos contar muito para que vocês tenham a mesma sensação enérgica ao ler, desvendando essa trama tão bem arquitetada no tempo certo e tendo que segurar o impulso de correr para as últimas páginas e saber logo o desfecho, tamanha a curiosidade e ansiedade que o livro provoca.

O que podemos contar é que o autor faz uma dura crítica aos valores dos jovens, cada vez mais consumistas e individualistas e como é difícil ser diferente em uma sociedade em que todos querem ser apenas iguais. “Vocês todos estão usando mais ou menos o mesmo tipo de roupa. Olhem ao redor e verão que é verdade. Agora, imagine que você é o único que não usa uma marca legal. Como isso faz você se sentir? O raio da Nike, as três listras da Adidas, o jogadorzinho de polo em cima do cavalo, a gaivota da Hollister…”, discute uma parte do livro.

O personagem central tem uma perspectiva crítica e irônica sobre aqueles que o cercam. Com seus inquietantes e perturbados pensamentos Leonard faz com que você, leitor, se questione. Outro ponto importante do livro são as constantes notas de rodapé, presentes em quase todas as páginas e que são um show a parte. Nelas o personagem destila seus comentários sagazes das pessoas e situações e também narra acontecimentos passados. Em alguns momentos Leonard lembra Tiffany, a personagem de J-Law em “O Lado Bom da Vida”.

O livro é triste, por muitas vezes até melancólico, mas merece a leitura. Seja pelo estilo da escrita de Matthew Quick ou pelo jeito marcante e sensível do personagem Leonard Peacock. Você vai se emocionar e até chorar, vai se sentir tocado pelas palavras e vai entender a importância de abraçar as diferenças e de se perdoar.

PS: Por aqui choramos três vezes. É o máximo que vamos admitir.

PERDÃO, LEONARD PEACOCK
Matthew Quick
Ano: 2013
Páginas: 224
Preço: R$ 24,90 (aproximadamente)
Editora: Intrínseca

* Este post é uma colaboração de Lorena Machado, literatura-maníaca, social-network-maníaca e amiga do PP

Comentários

Topo