Menu Papel POP

Ryan Murphy: “Me disseram que eu era muito estranho, muito bicha e muito incomum para Hollywood”

Sem sombra de dúvida, podemos afirmar duas coisas sobre Ryan Murphy: o quanto ele sempre nos deixa a ponto de morrer com as reviravoltas plantadas em suas produções, e claro, o maravilhoso ele é.

Na última semana, o produtor teve suas contribuições reconhecidas durante o VH1 Trailblazer Honors, a única premiação LGBT televisionada nos Estados Unidos. Como critérios avaliativos, foram levadas em consideração criações suas como “O Assassinato de Giane Versace: American Crime Story” e seu último lançamento, “Pose“, que chega ao Brasil no segundo semestre deste ano.

Durante seu discurso de agradecimento ao prêmio, Ryan confessou que seus inícios em Hollywood foram bem difíceis:

“Eu era considerado muito estranho, muito bicha, muito incomum. Meus trejeitos e a minha voz foram ridicularizados por executivos em reuniões”.

Ainda segundo Murphy, quando estava próximo de ver seu sonho de se tornar bem sucedido na indústria do entretenimento ir por água abaixo, recebeu um telefonema de outro pioneiro da TV: Norman Lear.

Durante a chamada, o recado foi um só: não desista. “Ele me disse: “vejo você. Continue!” (a gente agradece). O criador de Glee ainda disse que o fato de ter sido bem sucedido foi um milagre e que se sente inspirado por mulheres mais velhas.

Antes de falar, ele ainda brincou: “Estou concorrendo à presidência gay!” e agradeceu ao apoio ao longo de todos estes anos. Prepare o lenço e assista com a gente ao discurso de agradecimento completo:

Comentários

Topo