Menu Papel POP

Dylan Farrow, filha de Woody Allen, detalha abuso que sofreu do pai

TRIGGER WARNING: O TEXTO FALA SOBRE ABUSO SEXUAL E ESTUPRO.

Em sua primeira entrevista na televisão, ao programa “CBS This Morning”, Dylan Farrow, a filha adotiva de Woody Allen e Mia Farrow, descreveu detalhadamente como Allen alegadamente a abusou sexualmente.

Em 1992, Dylan Farrow acusou Woody Allen de abuso sexual quando tinha sete anos, e voltou a falar sobre o assunto em 2014 no The New York Times, e no Los Angeles Times, em dezembro do ano passado.

Farrow explicou como Allen a levou para uma área do sótão na casa de Connecticut de sua mãe, e a instruiu a deitar-se de barriga e brincar com um trem de brinquedo. Enquanto ela estava fazendo isso, ela afirma, Allen sentou-se atrás dela e a tocou de forma inadequada, dizendo à entrevistadora Gayle King exatamente onde em seu corpo ele a tocava. “Como uma garota de 7 anos, eu diria que ele tocou nas minhas partes íntimas, o que inclusive eu disse. Como uma mulher de 32 anos, eu digo que ele tocou nos meus lábios vaginais e na minha vulva.”

Quando sua mãe, que estava fazendo compras, descobriu o que aconteceu, Dylan Farrow diz que ela ficou chateada e levou a filha ao médico. Farrow, inicialmente, disse ao médico que foi tocada em seu ombro, mas a sua mãe ela revelou que só falou isso porque estava envergonhada. Então ela voltou e disse ao médico o mesmo que disse a sua mãe.

Na época, Woody Allen sugeriu que Farrow mudou sua história porque foi instruída por sua mãe, que meses antes descobriu que o diretor estava tendo um caso com a filha adotiva Soon-yi Previn. Quando a entrevistadora Gayle King relembrou isso, Farrow perguntou por que o que Allen diz é mais crível. “O que eu não entendo é como é essa história louca de eu ter sofrido lavagem cerebral e ter sido instruída é mais crível do que o que estou dizendo sobre ser abusada sexualmente por meu pai”, disse ela. “Minha mãe apenas me encorajou a dizer a verdade. Ela nunca me ajudou”.

Farrow também começou a chorar quando King mostrou um vídeo de Woody Allen negando as alegações durante uma entrevista em 1992. “Ele está mentindo e ele está mentindo há tanto tempo. E é difícil para mim vê-lo e ouvir sua voz”, responde Farrow.

Woody Allen nunca foi formalmente acusado de um crime. Relembrando todo o caso, Dylan Farrow diz que preferia que tivesse levado o caso ao tribunal. “Eu já estava traumatizada. Quero dizer, fora de uma corte de lei, nós já sabemos o que aconteceu no sótão naquele dia. Eu acabei de lhe dizer”.

Após a entrevista com Dylan Farrow, Woody Allen enviou um comunicado ao canal CBS:

“Quando esta acusação foi feita pela primeira vez há mais de 25 anos, ela foi investigada minuciosamente pela Clínica de Abuso Sexual Infantil do Hospital Yale-New Haven e do Bem-estar da Criança do Estado de Nova York. Ambos fizeram isso por muitos meses e concluíram independentemente que o abuso sexual não ocorreu. Em vez disso, eles acharam que uma criança vulnerável tinha sido treinada para contar a história por sua mãe irritada durante uma separação conturbada.

O irmão mais velho de Dylan, Moses, disse que ele testemunhou que sua mãe fazia exatamente isso – implacavelmente treinando Dylan, tentando convencê-la de que seu pai era um perigoso predador sexual. Parece ter funcionado – e, infelizmente, tenho certeza de que Dylan realmente acredita no que ela diz.

Mas mesmo que a família Farrow esteja usando cinicamente a oportunidade oferecida pelo movimento Time’s Up para repetir essa acusação desacreditada, isso não a torna mais verdadeira hoje do que era no passado. Nunca molestei minha filha – como todas as investigações concluíram há um quarto de século.”

Comentários

Topo